Wannabe Jalva lança single “Mareá” com participação do músico Curumin

“Se jogou, se lançou, se jogou na multidão, mas não soube voltar. Foi do céu até o fundo do mar, trocou água por cachaça no canto do bar.” É assim que começa “Mareá”, novo single da banda gaúcha Wannabe Jalva, que tem participação do músico Curumin nos vocais, percussão e bateria. Inaugurando uma nova fase, a canção –  lançada por meio de um lyric video  –  é a primeira que o grupo gravou em português. “Mareá” chegou às plataformas digitais nesta sexta-feira.

Composta pelo vocalista Felipe Puperi, com arranjos do guitarrista Rafael Rocha, do baixista Tiago Abrahão e de Felipe, o single reflete também o momento da banda, que jogou-se e lançou-se em novos horizontes, perseguindo novas sonoridades e maneiras de se conectar com o público.

A parceria com Curumin, convidado pela banda para participar das gravações na Red Bull Studios, e a ideia de produzir uma canção na nossa língua reforçam a ideia de renovação, como frisa Felipe: “tem coisas que soam bem em inglês e, em português, não ficam legais. Então, teve que haver toda uma construção desde o início para compor em português. O Curumin veio muito nisso, é um artista que a gente admira, que canta em português e fazia bastante sentido pra nós”.

Exaltando bateria, baixo e com pegadas eletrônicas, a faixa conta a história de um personagem que passa por uma transição, um limbo de autoconhecimento que precede mudanças, de encontrar seu próprio caminho e seguir a estrada. O segundo verso da canção exemplifica: “foi num voo em queda livre, seguindo a boiada, sem nada, que tropeçou, caiu no chão. A brisa distante levou mais um dia sem graça, que clareou sua visão”.

Criada pelo guitarrista da banda Rafael Rocha, a capa do single tem inspiração na desconstrução de objetos orgânicos. Busca associação na natureza, como o céu e o mar, para passar a ideia de que elementos antagônicos podem ser complementares. Isso se reflete também na escolha da paleta de cores, azul e vermelho, como explica Rafael: “são mundos que são diferentes, mas que se somam formando algo completamente diferente“.

Wannabe Jalva é composta por Felipe Puperi (voz, keys e guitarra), Rafael Rocha (guitarra e MPC) e Tiago Abrahão (baixo e synths). Mareá tem mixagem de Tiago Abrahão e masterização de Brian Lucey.

Ouça Mareá

Spotify | iTunes | Deezer | Google Play

MAREÁ

Se jogou, se lançou
Se jogou na multidão, mas não soube voltar.
Foi do céu até o fundo do mar
Trocou água por cachaça, no canto do bar

Foi cego na estrada torta,
que ele foi reto, não parou nem idealizou pra si
Era um ser humano discreto
Andava perdido na rua
E não gostava de sorrir

Se jogou, se lançou
Se jogou na multidão, mas não soube voltar.
Foi do céu até o fundo do mar
Trocou água por cachaça, no canto do bar

Foi num voo em queda livre
Seguindo a boiada, sem nada
Que tropeçou, caiu no chão
A brisa distante levou mais um dia de graça, sem graça
Que clareou sua visão

Se jogou, se lançou
Se jogou na multidão, mas não soube voltar.
Foi do céu até o fundo do mar
Trocou água por cachaça, no canto do bar

Wannabe Jalva

Natural de Porto Alegre, Wannabe Jalva tem trajetória consistente. Em 2010 lançou seu primeiro single, “Come and Go”, com o qual se apresentou em turnê pelo Uruguai. No ano seguinte, veio o primeiro EP “Welcome to Jalva”, com canções que renderam a escolha por ser a banda de abertura da enorme Pearl Jam, em Porto Alegre. No ano de 2012 apresentou seu som pelo Brasil e em 2013 subiu ao palco do Lollapalooza Brasil, dividindo line-up com Kaiser Chiefs, Hot Chip, Toro y Moi, Franz Ferdinand, The Killers, Queens Of The Stone Age, Pearl Jam. Também foi a banda escolhida para abrir o show do músico Jack White e, novamente, da banda Pearl Jam, em 2015, na capital gaúcha.

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com