Virgil Donati

virgildonati650_webVirgil Donati nasceu em Melbourne, Austrália, e ganhou sua primeira bateria aos três anos.

Ele começou tocando com a banda de baile de seus pais, e continuou com esses shows até cerca de seis anos. Aos sete anos Virgil começou a ter aulas com Brian Czempinski e mais tarde com Graham Morgan – hoje uma lenda da bateria australiana.

Formando sua primeira banda aos 15 anos, essa foi certamente uma escolha certa para o baterista. A banda se chamava “Cloud Nine”, posteriormente rebatizada como “Taste”.

Donati abandonou a escola quando tinha 16 anos, focando-se principalmente na bateria, mas também no piano, e praticando todos os dias.
Tocar seis noites por semana com o “Taste” foi o que realmente aperfeiçoou a pegada de Virgil. A Austrália era muito isolada, tanto em relação a métodos quanto a grandes turnês internacionais, então ele teve que se apoiar na auto-motivação e em ouvir discos.

Com os discos de seus pais, incluindo álbuns de Louie Bellson e Buddy Rich, Virgil rapidamente se tornou um fã dos grandes bateristas de jazz, tentando reproduzir seus solos.

O primeiro baterista de rock a ter grande impacto sobre Donati foi Ian Paice, do Deep Purple. Donati ficou impressionado com sua clareza e força – algo que mais tarde o tornaria famoso.

Estudar bateria tornou-se um estilo de vida para Virgil, que tentou aprender os mais variados estilos possíveis, permitindo-lhe lidar com qualquer situação musical.

Aos 9 anos Virgil viajou para os Estados Unidos para estudar com Philly Joe Jones e na Dick Groves School, em Los Angeles. Ele também teve aulas com o especialista em caixa clara, Murry Spivak.

Sua carreira finalmente decolou ao retornar para a Austrália, com 21 anos. Tocar jazz com Alan Zavod e Brian Brown – e rock com a banda de Peter Cupples – o tornou um baterista ocupado, tanto no estúdio quanto ao vivo. Sua banda pop, “The State” (que se transformaria na “Southern Sons”), trouxe a Virgil o primeiro gosto da fama internacional.

A grande virada veio em 1995, quando o primeiro álbum solo de Virgil, “Stretch”, foi lançado e deixou boquiaberta uma incrédula comunidade de bateristas por todo o mundo, que não sabia o que a atingira.

Donati mostrou uma nova abordagem para o bumbo duplo, fazendo coisas que ninguém tinha feito antes, como “double strokes” no bumbo em andamentos fora do comum.

Virgil se mudou para os Estados Unidos em 1996 para dar um passo adiante em sua carreira. Gravar e excursionar com artistas do calibre de Tina Arena, Steve Walsh, Tribal Tech e Steve Vai, agora são sua rotina diária, enquanto continua a levar os limites da bateria para níveis inacreditáveis. Sua própria banda, a “Planet X”, é sem dúvida o grupo de fusion mais inovador, estabelecendo novos padrões para outros músicos.

Virgil Donati não apenas levou o bumbo duplo a níveis extraordinários, mas a experiência acumulada desse incrível baterista vale a pena de ser vista.

Em 2010, Virgil Donati participou das audições com o Dream Theater para a substituição de Mike Portnoy, junto a Thomas Lang, Marco Minemann, Mike Mangini (que acabou ficando com a vaga) e o brasileiro Aquiles Priester.

Em junho de 2011 Virgil Donati percorreu o Brasil numa bem sucedida série de workshops.
Tocou com:

Michel Polnareff Cloud Nine Taste The State Broderick Smith Southern Sons Loose Change Jesus Christ Superstar Australian Cast Peter Cupples Linda Cable Alan Zavod Brian Brown Tina Arena Jon Stevens Tribal Tech Garsed & Helmerich Derek Sherinian Planet X Mark Boals Ring Of Fire Freakhouse On the Virg Steve Walsh Eric Norlander Joel Hoekstra Steve Vai Ken Steiger Frank Gambale Soul SirkUS Bunny Brunel Cab Mick Jagger Joss Stone Dave Stewart Joseph Williams

 

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com