Cuscobayo lança novo single “Andei Muito”

A batida forte e dançante da Cuscobayo deu um descanso para que a balada “Andei Muito” pudesse nascer em um folk calmo e reflexivo. A canção é o primeiro single inédito do próximo álbum da banda com lançamento previsto para 2018.

Neste lançamento a banda opta pelo acalento e sensação quase gostosa em não ser uma voz a mais na gritaria dos tempos atuais. “O Brasil vive um momento pavoroso, o mundo parece entrar numa espiral de confusão, nossas vidas pessoais são engolidas por esse estado fragilizado e cáustico das coisas… a gente poderia falar sobre isso – e na verdade, falaremos sobre isso no lançamento que seguirá este single – mas, neste momento queremos dar espaço para questões mais atemporais”, pontua Froner.

Um convite à introspecção, “Andei Muito” ganhou clipe igualmente poético (assista aqui). Idealizado pela Toca Audiovisual de Santa Maria, o vídeo traz com sutileza ímpar situações cotidianas misturadas entre três personagens distintos. O cotidiano, sob fotografia cuidadosa, empresta o foco para a música e na letra.

Após o tom crítico e ritmos latinos do disco Cuscobayo (2016), Alejandro Montes de Oca (trompete), Lourenço Golin (baixo), Marcos Sandoval (vocal e cajon), Rafael Castilhos (percussão) e Rafael Froner (vocal e violão) trazem no novo single um discurso intimista e linguagem doce. Sobre a mensagem da canção Froner conta: “A gente costuma colocar o sonho antes da vida, o futuro antes do presente. A mensagem geral da poesia apela pra questão da nossa humildade, do nosso lugar no mundo”.

A sonoridade de “Andei Muito” é costurada com pitadas andinas e guiada especialmente pela escolha do charango que cresce em camadas até a explosão do refrão.

Assista “Andei Muito”:

Sobre Cuscobayo

Formada em julho de 2012, em Caxias do Sul (RS), a banda composta por Alejandro Montes de Oca, Lourenço Golin, Marcos Sandoval, Rafael Castilhos e Rafael Froner se destacou pelas composições próprias e começou a atrair um público fiel. Um ano depois veio Na Cancha, o primeiro EP e lançamento do quinteto, seguido pelo álbum homônimo de estreia que veio ao mundo em 2016. No currículo, mais de 200 shows por cerca de 50 cidades, passando por importantes festivais como Bananada, Morrostock, Móveis Convida, inúmeros Grito Rock, Pira Rural e Acid Rock, além de turnê pela Argentina no final de 2016.

Cuscobayo na web
Facebook
Twitter
Instagram

Ouça Cuscobayo
Spotify
Youtube
Google Play
iTunes
Deezer
Soundcloud

Alessio Bondì lança clipe de “Di Cu Si”

Alessio Bondì encanta com a peculiaridade do idioma de suas canções – o dialeto siciliano – e pelas letras genuínas e organizadas, expressas em melodias folclóricas nativas. Infância e contos de um lugar distante são relatos recorrentes em seu trabalho. O ambiente deu origem a concepção e videoclipe de “Di Cu Si”.

Com memórias afetivas dos tempos de criança e sugestões literárias, o vídeo é um convite à uma terra nostálgica que flutua entre a alegria excitante e intimidade escancarada. Esta é uma prévia do álbum Sfardo que chega no final de novembro.

O disco conta dez composições inspiradas em histórias autobiográficas de Alessio e seu crescimento na Sicília, casando a inocência de questões infantis, das relações musicais e problemas da vida adulta.

Há quem diga que o músico italiano é uma mistura de Rosa Balistreri, um dos marcos da tradição musical siciliana, e Jeff Buckley. O cantor e compositor italiano, que já realizou tours na Europa (Berlim, Paris, Barcelona) e Estados Unidos, tem em seu currículo de projetos paralelos o duo “A Santa” (The Saint) com a compositora brasileira Nega Lucas.

Assista “Di Cu Si”:

Alessio Bondì na web
Facebook
Site

Siso lança single inédito em dueto com Letrux


“O Amor é 1 Arma de Destruição em Massa” integra novo disco do cantor mineiro, Saturno Casa

O músico, cantor e compositor mineiro Siso lança o single inédito “O Amor é 1 Arma de Destruição em Massa”. A faixa, que integra o novo álbum do artista, Saturno Casa 4, traz a participação especial da carioca Letícia Novaes, a Letrux. A música já está disponível nas principais plataformas digitais.

Escrita por Siso, “O Amor é 1 Arma de Destruição em Massa” brinca com os efeitos de um amor avassalador na vida de uma pessoa, que desconcerta ao mesmo tempo que se faz necessário. Letrux entra no dueto se entregando ao sentimento, enquanto aceita toda essa eletricidade e complexidade que vem junto a tal afeição.

Além dos vocais, a cantora também declama trechos de duas obras da escritora francesa Anaïs Nin: “Fogo” e “Henry & June”, ambas compiladas a partir dos diários da autora.

O lyric video antecipa o lançamento de Saturno Casa 4, primeiro álbum cheio lançado por Siso, que assina a produção ao lado de Christopher Mathi (BRA), Lasyten (BRA), Alexis Gotsis (GRE) e Mettabbana (KOS/EUA). A obra também inclui “Saudade”, já com mais de 100 mil plays no Spotify, mais uma faixa inédita composta por Letrux e outra com participação especial da cantora Paula Cavalciuk.

Facebook
Instagram
YouTube

Spotify
Deezer
Apple Music
Google Play

Com crítica feroz ao sistema político, Sid Ferreira lança clipe para “F.D.P.”

O samba sempre foi contestador. Nascido como uma manifestação popular dos negros, desde o início, com o lançamento de “Pelo Telefone” (1916), a política é um tema recorrente nas canções. Trazendo essa raiz de volta, o cantor e compositor Sid Ferreira lança o clipe “F.D.P. (Filosofia dos Políticos)”, que traz uma forte crítica à classe política e suas artimanhas para manter-se no poder. A canção faz parte do disco “Outros 500”, o segundo da carreira do artista, a ser lançado em breve.

A letra contestadora, escrita em parceria com a escritora e poetisa Keissy Carvelli revela um descontentamento com a situação atual do povo brasileiro. A batida do violão inspirada em “O Ronco da Cuíca” traz para a música um gingado característico do samba de João Bosco. Esta soma, em um arranjo enérgico, reflete o clima do disco “Outros 500”, que também traz composições que falam de temas variados que vão de racismo à intolerância religiosa.

“O repertório deste álbum não trata apenas dos problemas sociais do país. Todo artista tem o papel fundamental de emocionar as pessoas, razão pela qual o amor, sentimento mais intenso que há, é um tema recorrente na maioria das músicas do planeta. Mas desta vez abordo outras formas de amor, como o amor pela vida, o amor pela minha cidade natal e o amor pela música e por quem, como eu, a faz com a alma”, explica.

A música feita com paixão também fez com que Sid Ferreira agregasse diversos gêneros musicais em suas composições, como samba, choro, jazz e ijexá. O disco “Outros 500” foi gravado entre setembro de 2016 e julho de 2017, nos estúdios Camelo Azul e Sibemol (home studio do cantor), com arranjos e produção musical de Sid Ferreira, mixagem de Sérgio Carvalho e Carlos Fuchs, que também cuidou da masterização. Participam da faixa os músicos Rômulo Duarte (baixo acústico), Vitor Vieira (bateria) e Sérgio Pinheiro (piano elétrico), além de Sid Ferreira na voz e violão.

Assista “F.D.P. (Filosofia dos Políticos):

F.D.P. (FILOSOFIA DOS POLÍTICOS)
Keissy Carvelli / Sid Ferreira

-Mãos ao alto! Colarinho branco manda
Quem tá do lado de FORA, não nos vê na corda bamba
Vê se acorda! A corda tá no pescoço
A filosofia deles é comer o nosso almoço

Acorda e veja o TIRANO tirando do nosso bolso
O que resta da nossa fé
Acorda e veja o fulano falando com tanto gosto
As mentiras que ele quiser Habeas Corpus!

Põem no rosto o sorriso de madeira
E mantém o cinto frouxo, até a cueca é uma carteira
O nosso povo quase racha a moleira
Seja sob o sol a pino ou cassetete de primeira

Acorda! Pega LADRÃO! Padrão é corrupção
Vestida de tradição
Irmãos levantem as mãos, o leão quer sossegar não
Engole a população até os ossos!

O SAFADO vai solto põe milhões no seu traseiro
Mas quem rouba um biscoito, leva chumbo ou então vai preso
Usam os ovos do povo pro omelete financeiro
Com tanto imposto nem Deus quer ser brasileiro

IPVA, IPTU, ICMS, ITBI…

Paga pra se manter, paga pra estudar
Paga só pra comer o quanto precisar
Paga até sem saber, paga pra não dançar
Não paga só pra rogar praga em quem lhe cobrar

Paga sem escolher, paga pra se salvar
Paga pra poder ir e se quiser voltar
Paga até sem dever, paga pra não chorar
Paga pra não sofrer, só não paga pra sambar

Malaco Velho e o Samba do Zé Neguinho

Clipe reforça posicionamento da banda em levar a alegria

A banda, que é formada por um carioca e três paulistas, em um ano já mostrou pra que veio e o que quer buscar. No ano de lançamento, 2016, a banda já participou de festivais como Time4Music que conta com apoio da NIG e Cifra Club, conquistando o terceiro lugar diante de um júri de qualidade. Em 2017 lançou seu primeiro EP “Suburbano Brasileiro” e agora, lança o primeiro clipe da faixa “Samba do Zé Neguinho”.

O clipe, produzido pela Geração Y, mostra de forma descontraída a história da música que a banda garante que é verdadeira. O personagem principal “Zé Neguinho” aparece numa enrascada quando convida os amigos para participar do churrasco e não deixa muita coisa programada. O tom do clipe é o mesmo que a banda adota em seus shows e no conceito do EP lançado no primeiro semestre de 2017: ALEGRIA.

Malaco Velho traz a mistura dos ritmos populares brasileiros, sejam eles tradicionais ou “abrasileirados”. Não há fronteiras para a música, e é exatamente isso que você descobre ao ouvir o trabalho da banda.

A banda é formada por Doo Moraes (Voz e Guitarra), Felipo Meirelles (Percussão), Cassio Reis (Batera) e Janderson Bernardo (Sax e Flauta).

Assista o Clipe: https://youtu.be/JE7H69J-r0Y

Links Oficiais:
www.malacovelho.com.br
Facebook: facebook.com/malacovelho
Youtube: https://goo.gl/srzk5a
Contato para shows: 11 95459-2079 – Doo Moraes

Tássia Reis tira do forno “XIU!”

(Foto: Gabryel Sampaio)


“XIU! ” têm o intuito de promover o lançamento de sua marca de roupas que leva o mesmo nome

“Escute o que vou lhe dizer, você pode até fingir que não vê. Mas onde ‘cê’ olhar eu vou estar. Eu vou estar, eu vou estar… Então, xiu!”.

O trecho forte que inicia a nova canção de Tássia Reis já mostra ao que veio: dar voz e empoderamento às pessoas que são silenciadas pela sociedade, mas que resistem ao longo da história, contrariando os esforços de quem insiste em invisibilizá-las. “A ideia foi falar sobre ambição e o sentimento de querer mais do que é imposto pra quem é desfavorecido, e acima de tudo, fala sobre como somos julgados quando transgredimos esse protocolo”, explica a cantora.

Produzida por Bruce Slim – mais conhecido como Slim Rimografia –, “XIU!” tem a mix e a master assinada por Luis Lopes e foi gravado no estúdio Flapc4, no centro de São Paulo. “Nossa parceria foi muito natural, essa batida foi a primeira que mostrei pra ela. Quando eu vi o esboço da faixa, fiquei fascinado por esse casamento que é bastante poético e melódico, mas não perde o lado contundente e crítico”, afirma.

O clipe gravado no Estúdio Lâmina (SP), traz a cantora vestindo peças ousadas e que enaltecem seu estilo. Trata-se de outro lançamento: sua marca de roupas própria. Também intitulada como “XIU! ”, ela nasce com 8 looks, a princípio, que unem o conforto e liberdade, sem abrir mão da lacração e do close. “Eu quis fazer uma roupa que eu gostaria de usar, assim como eu faço uma música que eu gostaria de ouvir”, completa a cantora.

A ideia é um sonho antigo e veio em 2012, juntamente com sua amiga Talita Freitas. Aos 20 anos, quando saiu de Jacareí, interior de São Paulo, para cursar Design de Moda na Capital, Tássia Reis nem podia imaginar como seria sua vida 5 anos depois.

Assista aqui:

Prume lança clipe para “606 on Fire”, um dos destaques do disco de estreia

Foto por Flora Negri

Da mesma forma que grandes amores aparecem de forma inesperada, assim foi a parceria entre a banda Prume e a marca pernambucana Contém Glitter. O que começou com uma sugestão de trilha sonora para um vídeo publicitário tornou-se o clipe da canção “606 on Fire”, em que o brilho do glitter, o movimento do corpo dos bailarinos e a música tornam-se um só. Dirigido por Helder Tavares, o vídeo conta com a participação dos bailarinos Nefertiti, Hulli Cavalcanti, Anne Costa, Effie Costa e Inaê Silva.

Assista “606 On Fire”:

“Foi uma mistura de escolha e acaso. Já era nossa intenção que ela fosse o primeiro videoclipe simplesmente por ser a única que tínhamos uma ideia plausível para a nossa realidade. Mas também  por acreditarmos muito no potencial dessa canção. Achamos que ela é uma das mais plurais em termos de sonoridade, e podemos alcançar vários nichos e chegar o mais longe possível com esse clipe”, analisa Cadu Bussad.

Ao unir elementos da música eletrônica, do hip hop, e do indie rock, a Prume conseguiu como resultado uma sonoridade contemporânea, que pode ser ouvida no disco de estreia, “Learning by Watching”, produzido por Diogo Strausz (Castello Branco, Chay Suede, Alice Caymmi). O trio formado por Cadu, Igor Bruno e Felipe Wolfenson ultrapassa o número de 7 mil ouvintes mensais no Spotify, com destaque para o single “The Life I Seek”, que já soma mais de 300 mil audições.

O clipe de “606 on Fire” traz produção de Naiara Cândido, sócia da marca Contém GIitter; maquiagem de Zé Lucas; e figurino por Babi Jácome e Thaís Sales.

Entre guitarras espertas, Coronel Pacheco lança vídeo ao vivo de “Petit Comité”

Os integrantes são amigos desde a faculdade e com isso criam esse ambiente familiar e descontraído que aparece em toda a extensão do vídeo. Gravado no Family Mob Studio, o vídeo de “Petit Comité” carrega muito da boa energia da banda, além de contar com a presença de Eduardo Borém (Móveis Coloniais de Acajú).

Assista o vídeo:

A banda Coronel Pacheco é referência pela irreverência e pluralidade sonora, em seu álbum “Petit Comité”, a diversidade musical é muito bem explorada. Com letras hilárias, as músicas abordam o cotidiano e apresentam com maestria a definição que os músicos atribuem ao nome do disco:

“A expressão Petit Comité tem dois significados, nessa história toda. Na música que dá nome ao álbum, é sobre a vontade de querer poder passar um tempo bom com aquela pessoa maneira, de fazer aquela festinha pra dois, no meio de tantos compromissos que a vida adulta traz. E no nome do disco, propriamente, é quase que um convite pras pessoas conhecerem a gente melhor. A gente até montou uma sala de estar no meio da rua, na capa, pra preparar esse petit comité”, contam Luiz Hygyno, guitarrista e voz e  Edu Barreto, também guitarra e voz que já fez parte do grupo Bratislava.

Mais sobre Coronel Pacheco

O grupo começou como um trio em 2010, com Bruno Brandão (bateria e voz), Rodrigo Passeira (baixo) e Eduardo Barreto (guitarra e voz), só dois anos depois se juntaram com Luiz Hygino, que passou a integrar a banda na guitarra de voz. Em 2014 lançaram o primeiro EP, Não Parece Tão Legal Agora, que ganhou destaque na mídia e deu gás para a banda continuar. Este ano, lançam o primeiro disco, Petit Comité, da banda que se apresenta dizendo que é rock, mas bem poderia ser trilha sonora da novela “Mulheres de Areia”.

A “Música brasileira transante”, como a banda gosta de definir, é a perfeita definição das canções da Coronel Pacheco.

Links:
Site
Facebook
Instagram
Youtube

PAPISA busca inspiração em arquétipos de deusas no cinematográfico clipe de “Intuição”

Os mais de 10 anos de carreira e estrada não foram suficientes para sanar a vontade de criar da compositora e multi-instrumentista Rita Oliva, voz à frente da banda Cabana Café e do duo de dream pop Parati. Desde 2016, ela explora um universo novo e traz a experimentação para a produção de músicas e performances de PAPISA, alter ego que lhe rendeu um elogiado EP homônimo e denominações como “Cat Power psicodélica” (Popload) e “bruxa sabia” (Noisey), além de shows pelos estados da Bahia, Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Espírito Santo, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Goiás – que já dão indícios do que está por vir com seu álbum de estreia.

Se um impulso une Rita à PAPISA, é preciso estar atento aos detalhes, olhar ao redor, sentir os aromas da floresta e tatear o solo fértil para captar o clima do videoclipe da faixa “Intuição”, uma viagem etérea em busca da figura da Sacerdotisa, ou Papisa – inspirada na energia Yin, do princípio feminino, nas mulheres que exerciam funções sacras nas antigas religiões e também no arcano II do tarô de Marselha. Entre árvores e rios, figuras místicas se misturam para desaguar em uma só: quieta, instintiva, intuitiva.

Ao longo do clipe, personagens inspiradas em arquétipos de deusas da mitologia percorrem a natureza em ações onde a sensorialidade prevalece. “As mulheres carregam facetas de todas as deusas dentro de si, e o clipe busca explorar isso de uma maneira pessoal e subjetiva”, revela Rita. O clipe tem direção assinada por Manoela Chiabai, Daniel Barosa, José Menezes

A faixa, uma onda pop e enérgica que fala sobre abrir a escuta para a própria voz interior, lida com contrastes: “É doce mas também tem um clima sombrio, e buscamos trazer essas nuances para o filme”, completa a artista. Na sombra a minha fala encontra outro tom rasteiro/ E a cor da tua cara entrega/ Que minha intuição já viu/ Mas eu não. Movimentos, muitas vezes, revelam por si o que não conhecemos.

SACERDOTISA

PAPISA é autora e executora de sua própria obra, inspirada no arquétipo da sacerdotisa, também representada pelo arcano II do tarô (“A Sacerdotisa” ou “A Papisa”).  A vontade de explorar suas potencialidades levou Rita Oliva, o nome por trás – ou à frente – de Papisa, a gravar todos os instrumentos de seu primeiro single, “Instinto”, e a produzir seu próprio EP, lançado pelo selo pernambucano PWR Records – dedicado exclusivamente a bandas com mulheres. Atualmente, PAPISA se apresenta em formato solo, tocando guitarra e criando loops de voz que convidam o público a um transe místico, enquanto o pulsar de beats e programações incita o despertar dos sentidos do corpo.

REDES
papisabrisa.com
fb.com/papisabrisa
instagram.com/papisabrisa

Mudanças e saudade de casa são temas de “I’m Homesick”, novo clipe do Hover

A mudança é inerente à natureza, e com o ser humano não é diferente. Mudar de casa ou de país, seja por força do destino ou não, é um deslocamento que nos faz crescer. A letra de “I’m Homesick” traz a ideia da saudade de casa e da busca por pertencimento. Qual é o lugar que te faz sentir-se em casa? Para os músicos do Hover, é Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro. O clipe para o novo single foi filmado inteiramente na Cidade Imperial, tendo como pano de fundo um dos pontos turísticos da cidade: o Museu Imperial.

Muito mais do que uma homenagem à cidade onde a banda foi formada, o clipe faz um apanhado das ruas mais conhecidas do Centro Histórico: Avenida Köeller, Rua da Imperatriz, Avenida Ipiranga e o entorno da Catedral de São Pedro de Alcântara, mais um dos cartões postais da cidade. A ideia de registrar esses locais no clipe serve para ilustrar a temática da saudade de casa e o sentimento de pertencimento a algum lugar – ou a falta desse sentimento.

“Todo mundo que sai do ninho acaba tendo essa sensação, de não se sentir em casa em nenhum lugar – pelo menos por um tempo. E há também casos mais sensíveis e dramáticos, como a situação de imigrantes ou pessoas que perderam as casas em tragédias. A gente tentou canalizar todo esse escopo de sentimentos no clipe. O cenário, formado por caixas e outros elementos, remete a exatamente isso: mudança, ruptura, transformação.”, explica Lucas Lisboa, guitarrista do Hover.

O vídeo marca a despedida do baixista do grupo, Pedro Fernandes, que se mudou de país. Atualmente, a formação do Hover é, além do Lucas, Saulo von Seehausen (guitarra e voz), Felipe Duriez (guitarra) e Álvaro Cardozo (bateria). A música “I’m Homesick” faz parte do disco de estreia da banda, “Never trust the weather”, lançado em 2016. O trabalho revelou uma nova fase do grupo, com composições maduras, sem deixar de lado a força e potência marcantes na identidade da banda, que une o post-grunge ao post-hardcore, com pitadas de stoner e indie.

O vídeo conta com direção, roteiro, montagem e finalização de Fabrício Abramov e Hugo Gama, com direção de fotografia de Artur Medina e assistência de fotografia de Pedro Arantes. A produção ficou por conta da própria banda e de João Felipe Verleun. A direção de arte, cenografia e figurino são de Raquel Theo.

Assista “I’m Homesick”:

Agradecimentos: Museu Imperial, Leandro Bronze, Vinicius Junqueira, Paulo Maganinho, Pedro Caldara, Fábrika de Sons, Estúdio Aldeia e Cláudia Pessanha.

Ficha técnica da faixa I’m Homesick, do disco ”Never Trust The Weather” (março de 2016)
Produção: Diego Marx
Co-produção: Saulo von Seehausen
Engenharia de som: Vinicius Junqueira e Victor Conde Nogueira
Edição: Márcio Biaso e Ricardo Ponte
Mixagem e masterização: Ricardo Ponte

Trayce divulga videoclipe inédito da faixa “O Culto”

Foto: Filipe Navares

Música integra disco Miragem, terceiro da carreira da banda, lançado no começo deste ano

A pista cheia, a banda em ação e um som pesado compõe o quadro narrativo de “O Culto”, novo videoclipe da banda de rock Trayce. A canção faz parte do álbum Miragem, o terceiro do grupo paulista, lançado no começo deste ano.

Filmada durante o show de lançamento do disco em São Paulo, no tradicional Clash Club, a produção exibe os integrantes Raphael Castejon (vocal), Rafael Palmisciano (baixo), Fabricio Modesto (guitarra), Cadu Gomes (bateria) e Alex Gizzi (guitarra) executando a música para o público que lotou a casa no último mês de abril, além de algumas cenas de bastidores.

Com imagens de Gustavo Amaro e Thiago Ferreira, “O Culto” teve direção e edição do vocalista Raphael Castejon.

Trayce

Fundada em São Paulo no ano de 2008, a banda de rock Trayce é formada pelos integrantes Raphael Castejon (vocal), Rafael Palmisciano (baixo), Fabricio Modesto (guitarra), Cadu Gomes (bateria) e Alex Gizzi (guitarra). De lá para cá foram dois discos lançados e shows realizados em diversas cidades brasileiras. Neste ano de 2017 abrem as atividades com o lançamento de Miragem, novo disco cheio produzido pela própria banda e por Wagner Meirinho (Loud Factory), em São Paulo (SP), onde o álbum foi gravado, mixado e masterizado.

Facebook
Twitter
Instagram
Site Oficial

YouTube
Spotify
Deezer
GooglePlay

Confira “Mergulho” o novo clipe da cantora Gabriela Garrido

Foto roubada do Facebook da Cantora!


A cantora e compositora carioca Gabriela Garrido lançou recentemente um clipe para a faixa-título do seu primeiro EP, “Mergulho”, lançado no ano passado.

O nome da música é bem auto-explicativo: ela fala sobre a sensação de se entregar, de estar imerso no que você ama, de ser verdadeiro consigo mesmo. O vídeo funciona como uma confissão, e os jogos de luz querem transmitir diferentes emoções e traços sendo aos poucos revelados.

Um segundo EP já foi gravado e será lançado no segundo semestre. Enquanto isso, “Mergulho” e as outras faixas do disco estão disponíveis nas principais plataformas digitais.

Assista ao clipe aqui:

Facebook: https://www.facebook.com/gbrgarrido/

Contato: gabrielagcontato@gmail.com

Alvares apresenta releitura soturna para canção de Cícero

Foto: Marina Choinski

Alvares apresenta uma versão em verdadeiro contraste para “Ensaio Sobre Ela” de Cícero. Com o peso e os traços fortes do rock alternativo, o cantor faz deste cover uma releitura bem original. A gravação faz parte de uma série de vídeos inaugurada com a música “K.O”, da cantora Pabllo Vittar. Munido apenas de sua voz e um teclado, a performance fica mais sincera e autêntica.

A música de Cícero faz parte do álbum de estreia do cantor, “Canções de Apartamento”, lançado em 2011. O disco lançou a carreira do músico, chegando a ser considerado um dos melhores do ano por diversos sites especializados. Da mesma forma que o trabalho se tornou a porta de entrada para Cícero na música, Alvares utiliza a canção “Ensaio Sobre Ela” para dar um novo significado sonoro à música, convidando para a reflexão.

“É a minha favorita do disco e eu acho a melodia bonita. Ela tem um quê nostálgico e acho ela bem atemporal!”, reflete o Alvares.

O cantor leva o ouvinte para novas experiências sonoras, embasadas no violão combinado a reverbs e delays. Ele já lançou o EP “Sala de Estar Experimental – Volume 01” e, em 2017, divulgou o novo EP, “Primeiro”. Os trabalhos são lançamentos do selo carioca DALS Records.

A canção está disponível no canal oficial no YouTube de Alvares. Assista a versão de “Ensaio Sobre Ela”, com direção e edição de Pedro Oliveira:

Movimentos da maré inspiram novo clipe de Sarah Abdala

Só se perde quem está a procura de um lugar e é a busca por um porto seguro a inspiração da canção “Cavalgada”, de Sarah Abdala, que acaba de ganhar um clipe. O primeiro single do novo álbum “Oeste” traz os principais elementos que regem o novo rumo do trabalho da cantora: a utilização do sintetizador e a simplificação dos arranjos. O disco lançado pelo selo Rock It!, comandado por Dado Villa-Lobos (Legião Urbana), traz a produção da própria Sarah Abdala ao lado de Eduardo Manso (Ava Rocha).

A música é embebida em uma mensagem forte, de pertencimento e de jornada. Muito mais do que chegar a algum lugar, também é importante considerar quais foram os caminhos que o levaram até lá. Tal como a maré que não segue nenhuma lei – a não ser a da natureza -, também deve ser o indivíduo em busca de seu lugar.

“É uma música que representa bem o disco. A mensagem desse clipe é de alguém que está em uma jornada, chegando em um lugar desconhecido. Essa jornada pode ser notada como geográfica ou psicológica”, define Sarah Abdala.

Gravado com bonitas imagens subaquáticas em um mar ora pacífico, ora inquieto, o vídeo foi dirigido pela artista e conta com fotografia de Guga Millet. A busca mostrada na faixa e no vídeo funciona como uma metáfora para a própria jornada de Sarah. O trajeto que a trouxe até aqui foi iniciado com o disco “Futuro Imaginário”, de 2014. A estreia trouxe arranjos elaborados que formavam uma sonoridade com traços da MPB e do rock alternativo. O trabalho rendeu uma turnê nacional e uma base firme para a criação de “Oeste”, que traz uma compositora amadurecida e à vontade para explorar sensações, sentimentos e ousar como letrista e instrumentista. A ambientação sonora é de intimidade, explorando os sons, as pausas e os ruídos.

Enquanto “Futuro Imaginário” trazia a leveza do ponto de partida, “Oeste” traz a densidade de quem aprendeu novas lições. O minimalismo dos título acompanha o disco até a masterização final, como se exibisse com orgulho as feridas acumuladas com o tempo. “Oeste” é pertencimento, lugar e origem, com letras que se tornam universais.

Assista “Cavalgada”:

Supercombo divulga novo clipe da faixa “Bonsai”

A mente como refúgio e meio de transporte para as melhores viagens é o que canta a Supercombo na canção “Bonsai”, que ganha hoje um videoclipe novoveja aqui – e nas próximas semanas uma coletânea com três versões diferentes além da original, uma “radio edit” e uma acústica –, em todas as plataformas digitais, via Elemess. A música faz parte do álbum mais recente do grupo, Rogério (2016).

Com imagens captadas durante um show em Brasília (DF), no Estádio Mané Garrincha, o vídeo apresenta Leo Ramos (guitarra e voz), Pedro “Toledo” Ramos (guitarra), Carol Navarro (baixo) e Paulo Vaz (teclado) em diversos momentos, todos eles típicos na vida de uma banda que está sempre na estrada. Brincadeiras e distrações nos bastidores e esperas em salas de embarque, além de cenas explosivas dos músicos em ação sobre o palco e a reação do público aparecem na produção.

“Bonsai” teve produção, direção e câmera de Filipe Rodrigues e edição e finalização por Marina Alves.

Supercombo
Com base fixa em São Paulo (SP), a Supercombo é uma banda brasileira de pop rock formada por Leo Ramos (guitarra e voz), Pedro Ramos (guitarra), Carol Navarro (baixo) e Paulo Vaz (teclado). Na ativa desde 2007, o grupo já possui quatro discos lançados: Festa? (2007), Sal Grosso (2011), Amianto (2014) e Rogério (2016), atual disco de trabalho e com shows rodando todo o país.

crédito imagem: Filipe Rodrigues

Facebook
YouTube
Deezer
Spotify

Não Perturbe: MALLI cansou de você

Esse é o ano da MALLI: a cantora, compositora e baixista abalou corações no começo de 2017, levando um público curioso e entusiasmado a imitar os passos vogue do clipe La Nave Va.

Agora, dá pinta ao vivo com a inédita Não Perturbe. Um grito forte o suficiente pra te afastar, já que ela cansou de você. “Só me mande notícias se valer a pena e se forem boas”, ela canta na performance visceral.

Uma faceta mais agressiva da artista, que recentemente (e gravidíssima) também mostrou a faixa Ladeira. “Gosto de encarnar meus extremos. Bato o quadril na lambada e corto os pulsos no drama. Sou muito exagerada”, revela

Entre cores escandalosas e maquiagem sombria – meio Ney, meio Portishead – MALLI da amostras do que podemos esperar de seu disco de estreia, produzido pelo multi instrumentista Rafael Castro e com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2017.

MALLI

Site: http://www.mallimusic.com/
Facebook: https://www.facebook.com/mallimusica
Instagram: https://www.instagram.com/mallimusic

Não Perturbe (Ao Vivo) – https://youtu.be/Kxq9z1ujko0
Ladeira (Ao Vivo) – https://youtu.be/NiAIqWOD5_c
La Nave Va (Clipe) – https://youtu.be/-JCsPVUKWIM

Não Perturbe
Captação de áudio e vídeo: Estúdio 185
Produção: Juka Tavares
Produção musical, edição, colorgrading e mixagem de áudio: Rafael Castro

Banda
MPC e Pecurssão: Rafael Rodrigues
Guitarra: Daniel Cohen
Trompete: Natan de Oliveira
Guitarra e Teclado: Rafael Castro

LETRA
Sem me perder no caminho
me deixo levar
porque o seu papo ficou chato
Bobo

Você abusou do carinho
Foi longe demais
E tanta ternura me sufoca
Choca

Não me perturbe mais
Me deixa um pouco em paz
Só me mande notícias se valer a pena
e se forem boas.

Lutre apresenta “Apego” em sessão ao vivo

A banda goiana Lutre acaba de lançar seu álbum de estreia, “Apego”. Agora, é possível conferir a faixa-título em uma interpretação intimista no vídeo da série “Magrela Convida”. O registro acompanha Marcello Victor em uma performance solo, já que a canção é construída apenas com a sonoridade de sua voz e guitarra.

Além de Marcello, a Lutre é formada por Chrisley Hernan (baixo) e Jefferson Radi (bateria), que caracterizam o som desse power trio. No entanto, para apresentar “Apego”, o vocalista aparece em formato reduzido, mantendo o arranjo minimalista apresentado no álbum. Para trazer mais texturas, os pedais ajudam a criar loops que seguem em execução mesmo após o último acorde.

Marcello assina esta e as demais letras de “Apego”. Talvez por isso, a canção transmita uma forte vibração de intimidade e cumplicidade. A inspiração vem das inquietudes de uma juventude criativa e inovadora, como tem sido o caso da Lutre e de outras bandas que surgem na cena independente de Goiânia. O trio de rock alternativo surgiu em 2015 e no pouco tempo de existência, já passou por palcos importantes como o Festival Bananada e Festival Vaca Amarela em sua tour nacional. A intensidade de suas canções é característica marcante do já elogiado álbum de estreia.

Nada mais justo que apresentar esta versão ao vivo na sessão Magrela Convida, realizada pela produtora audiovisual independente Magrela Filmes, que assina produção, direção e edição. Pelo projeto já passaram convidados como os também goianos Boogarins, Brvnks, Hellbenders e Carne Doce, além de Duda Brack, Baleia, Liniker, Francisco El Hombre e Ventre, esta última presente no álbum da Lutre como co-produtora.

Confira “Apego” ao vivo:

Ouça “Apego”:
https://www.youtube.com/watch?v=GI4LNcsm59s
https://open.spotify.com/album/5yqbFJmkoLe0d2HPz3Q2dT
https://soundcloud.com/lutre-oficial

Deb and The Mentals lança novo videoclipe, “Mess”


Música dá nome ao primeiro disco do grupo, lançado este ano via Läjä Records

Uma bagunça. Assim é o novo videoclipe da banda de rock Deb and The Mentals, “Mess”, lançado na sexta-feira passada (09/06) – veja aqui. A faixa, que dá nome ao primeiro disco do grupo, lançado em março deste ano, via Läjä Recordsouça aqui – é também o segundo vídeo produzido e feito inteiramente pela própria banda.

De sonoridade noventista e sem frescura, a Deb and The Mentals é composta por Deb Babilônia (vocal), Guilherme Hipolitho (guitarra), Bi Free (baixo) e Giuliano di Martino (bateria), que intercalam instrumentos durante todo o vídeo.

Foi na antiga sede da agência Carme, em São Paulo (SP), que o grupo encontrou o cenário perfeito: o banheiro da empresa, cujas paredes eram completamente adornadas com quadros dos mais diversos tamanhos, cores e formatos. “Eu já trabalhei lá e adorava aquela decoração. Toda vez que eu ia ao banheiro, pensava: eu ainda vou gravar um clipe aqui”, revela o baterista Giuliano Di Martino.

Já o formato de filmagem escolhido foi aquele com a cara e o jeito da banda: um ‘do it yourself’ completo, feito em quatro takes – um para cada troca de integrantes –, todos capturados por uma Go Pro grudada na parede.

A edição, simples e rápida, durou um dia e foi realizada pelo próprio Di Martino. “O clipe não teve roteiro e nem combina com a letra. Além disso, a própria música pode ter um significado diferente para cada pessoa que escuta, assim como o clipe. Não pensamos em nada disso, mas acabou rolando”, entrega o baterista e diretor do vídeo sobre o pequeno caos metalinguístico criado.

O próximo show da Deb and The Mentals está marcado para dia 17 de Junho, em Vila Velha (ES), dentro do Läjä Festival Vol. 01, da Läjä Records.

Veja o videoclipe “Mess”

Läjä Festival Vol. 01 – Vila Velha (ES)
data: 17 de junho de 2017 (sábado)
local: Correria Music Bar (Av. Est. José Júlio de Souza, 740 – Praia de Itaparica)
horário: 16h
entrada: Grátis

Sobre Deb and The Mentals
Formado em 2015, em São Paulo, Deb And the Mentals é um dos novos e mais promissores nomes da cena roqueira independente nacional da atualidade. Com um EP lançado em 2015 – Feel The Mantra – o grupo composto por Deborah Babilonia (vocal), Guilherme Hypolitho (guitarra), Bi Free (baixo) e Giuliano Di Martino (bateria) caiu na estrada tocando em diferentes estados brasileiros, incluindo aí duas participações marcantes: no festival potiguar DoSol e no paulista SIM SP, ambos em 2016. No começo de 2017 a banda lançou seu primeiro álbum cheio, Mess, com produção de Alexandre Capilé, via Läjä Records. Em Junho do mesmo ano divulgaram o videoclipe da faixa titulo, produzido pela própria banda.

Facebook
Instagram
Twitter

YouTube
Spotify
Deezer
Google Play

Whipallas lança novo single e clipe estrelado por Tonico Pereira e Regina Sampaio

Foto: Rodolpho Pupo

Amor e paixão não têm idade – e nem lugar certo para acontecer. Dois idosos não resistem ao desejo e à vibração das guitarras no novo vídeo do Whipallas. “Boogie Boogie”, canção que antecipa o próximo EP da banda carioca, estreou nas plataformas de música online e já ganha um clipe, protagonizado por Tonico Pereira e Regina Sampaio.

O palco dessa história de amor é uma farmácia, uma alegoria para as dores de um coração partido. Pedro Lenz (voz e guitarra), Márcio Biaso (guitarra), Jayme Monsanto (baixo), Bernardo Massot (teclado e synth) e André Coelho (bateria) são testemunhas na narrativa desse reencontro acalorado. Enquanto versos como “let’s get back together” ecoam em cena, os personagens mostram a sua natureza lasciva.<

“A ideia surgiu muito a partir da letra, que basicamente fala do encontro de duas pessoas idosas que se apaixonam de novo loucamente, apesar da idade. Por que não, né? O amor pode e deve ser vivido em todas as suas formas, e é muito bonito de ver relacionamentos que atravessam o tempo ou simplesmente saber que pessoas de mais idade estão se aventurando num amor ou numa paixão novamente. Outra inspiração pra essa música foi minha avó, de 95 anos. Ela tem uma vitalidade incrível e outro dia falou que tinha se apaixonado de novo, mas que passou rápido (risos). Acho que o amor é um tema rico demais para não se explorar. Aliás, o mundo tá precisando”, revela Pedro Lenz.

A ideia de utilizar uma farmácia como cenário veio do diretor Philippe Noguchi, em sua segunda parceria com o Whipallas. Com o cineasta, a banda realizou também o vídeo de “Battlefield”, produção que marcou presença na mostra competitiva do festival Curta Brasília no ano passado.

Nada melhor do que dois atores do calibre de Tonico Pereira e Regina Sampaio para dar forma à história inusitada de “Boogie Boogie”. Ele, conhecido por papéis na teledramarturgia em A Grande Família, Gabriela e Anos Dourados, além de filmes como “Menino Maluquinho” e “Caramuru – A Invenção do Brasil”; ela, trazendo experiência em novelas como Avenida Brasil e Totalmente Demais. Juntos, Tonico e Regina dão vida a esses dois personagens no ritmo do rock inspirado pelo indie e pelo rock 60s e 70s do Whipallas.

Após o elogiado EP homônimo, lançado em 2016, a banda alça novos voos as canções que vêm por aí. Dando o pontapé inicial à divulgação do próximo trabalho, “Boogie Boogie” sai também como single, já disponível online. Além dela, outras composições estão previstas para formar um novo compacto. “São músicas que já estávamos trabalhando há um tempo. Tentamos escolher canções que faziam sentido para esse momento, que é de certa forma uma continuidade do primeiro EP e ao mesmo tempo uma oportunidade de experimentar. Aí paramos um bom tempo para produzi-las com carinho, cada uma com a sua cara, a sua pegada, o seu recado, mas sem perder essa identidade que começamos a construir. Tínhamos outras músicas que adoramos também, mas parece que ficaram para o próximo disco”, adianta o vocalista.

Assista o clipe de “Boogie Boogie”:

Ouça “Boogie Boogie”:  https://milkdigital.lnk.to/BoogieBoogie

“Boogie Boogie”:
Composição de Jayme Monsanto e Pedro Lenz
Gravado e mixado na Sonido por Bernardo Massot
Masterizado na Magic Master por Ricardo Garcia
Produzido por Whipallas

Ficha técnica do clipe:
Roteiro e Direção – Philippe Noguchi
Produção Executiva: Daniel Lira e Philippe Noguchi
Produção: Sofia Maldonado
Direção de Fotografia – Daniel Venosa
1º Assistente de câmera – Fernando Macedo
2º Assistente de câmera – André Andrade
Gaffer – Lucas Stirling
Steadicam – Dudu Mafra
Maquinista – Rodolpho Pupo
Som direto – Caíque Melo

Figurino: Carol Azevedo
Contra-regra: Luz de Lucena
Montagem e correção de cor: Philippe Noguchi
Mixagem: Bernardo Massot

Elenco: Tonico Pereira, Regina Sampaio e Whipallas
Agradecimento especial – Drogasmil

Letra:
Boogie Boogie

I wanna call you in the middle of the night
But I should probably wait until sunrise
Cause I miss you so bad, I know you want me back
So let’s do it, do it

And if you hit me up
I’ll never turn you down
I’ll take my chances till we’re dancing round n’ round
Cause I miss you so bad, I know you want me back
So let’s boogie, boogie

We can be in love again, yeah
I’ve been waiting such a long long time
We can be young again, yeah

I want another chance, I’ll meet you back in time
But I should probably wait until midnight
Cause I feel like a lad, and you still drive me mad
So let’s do it, do it

And if you pick me up
I’ll show you the whole town
I’ll take my chances till we’re dancing round n’ round
Cause I miss you so bad, I know you want me back
So let’s boogie, boogie

We can be in love again, yeah
I’ve been waiting such a long long time
We can be young again, yeah

Let’s get back together
Let’s get back together
Been such a long, long time

Limonge lança curta com animação

A produção conta a história da música “Bolso”

O primeiro single “Geração 90” do paulistano Limonge,  repercutiu em diversos veículos de comunicação e, ainda, foi um dos finalistas do concurso Energia Me Ouve, uma das maiores competições de bandas independentes do país.

Agora para aproveitar o dia dos namorados, o artista lançou através da página Brasileiríssimos com 09 milhões de seguidores, seu novo single e clipe “Bolso”. A música romântica será o último single trabalhado de seu primeiro álbum, pois o cantor já está em estúdio gravando seu novo material.

A animação é de Daniel Suzigan, com roteiro do próprio cantor e João Paulo Soares. “A ideia foi criar uma analogia pra exemplificar o encontro de duas pessoas como se fossem almas gêmeas, interesses em comum e coincidências que só quem já amou um dia consegue entender”, comenta o cantor.

Assista o clipe:


Limonge

Paulista de 29 anos, completa 2 anos de carreira agora em 2017. Cantor, compositor e multi-instrumentista, assina a produção total dos EPs Tão Normal e O Tempo. Em setembro de 2016 lançou o primeiro disco da carreira, batizado de “Éramos nós, sempre seremos”. O álbum é uma junção dos dois EPs com algumas faixas inéditas, destaque para “Luz”, “Geração 90” e “O tempo”. As influências vão de Bob Dylan a Pearl Jam, passando por grandes nomes do rock nacional como Legião Urbana e Cazuza.

Contato para shows: contato@geracaoy.net
Contato para imprensa: imprensa@geracaoy.net 

Links oficiais:
http://www.limonge.net
https://www.facebook.com/LimongeOficial
https://www.youtube.com/limonge
https://goo.gl/BTL6TH

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com