Entre guitarras espertas, Coronel Pacheco lança vídeo ao vivo de “Petit Comité”

Os integrantes são amigos desde a faculdade e com isso criam esse ambiente familiar e descontraído que aparece em toda a extensão do vídeo. Gravado no Family Mob Studio, o vídeo de “Petit Comité” carrega muito da boa energia da banda, além de contar com a presença de Eduardo Borém (Móveis Coloniais de Acajú).

Assista o vídeo:

A banda Coronel Pacheco é referência pela irreverência e pluralidade sonora, em seu álbum “Petit Comité”, a diversidade musical é muito bem explorada. Com letras hilárias, as músicas abordam o cotidiano e apresentam com maestria a definição que os músicos atribuem ao nome do disco:

“A expressão Petit Comité tem dois significados, nessa história toda. Na música que dá nome ao álbum, é sobre a vontade de querer poder passar um tempo bom com aquela pessoa maneira, de fazer aquela festinha pra dois, no meio de tantos compromissos que a vida adulta traz. E no nome do disco, propriamente, é quase que um convite pras pessoas conhecerem a gente melhor. A gente até montou uma sala de estar no meio da rua, na capa, pra preparar esse petit comité”, contam Luiz Hygyno, guitarrista e voz e  Edu Barreto, também guitarra e voz que já fez parte do grupo Bratislava.

Mais sobre Coronel Pacheco

O grupo começou como um trio em 2010, com Bruno Brandão (bateria e voz), Rodrigo Passeira (baixo) e Eduardo Barreto (guitarra e voz), só dois anos depois se juntaram com Luiz Hygino, que passou a integrar a banda na guitarra de voz. Em 2014 lançaram o primeiro EP, Não Parece Tão Legal Agora, que ganhou destaque na mídia e deu gás para a banda continuar. Este ano, lançam o primeiro disco, Petit Comité, da banda que se apresenta dizendo que é rock, mas bem poderia ser trilha sonora da novela “Mulheres de Areia”.

A “Música brasileira transante”, como a banda gosta de definir, é a perfeita definição das canções da Coronel Pacheco.

Links:
Site
Facebook
Instagram
Youtube

PAPISA busca inspiração em arquétipos de deusas no cinematográfico clipe de “Intuição”

Os mais de 10 anos de carreira e estrada não foram suficientes para sanar a vontade de criar da compositora e multi-instrumentista Rita Oliva, voz à frente da banda Cabana Café e do duo de dream pop Parati. Desde 2016, ela explora um universo novo e traz a experimentação para a produção de músicas e performances de PAPISA, alter ego que lhe rendeu um elogiado EP homônimo e denominações como “Cat Power psicodélica” (Popload) e “bruxa sabia” (Noisey), além de shows pelos estados da Bahia, Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Espírito Santo, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Goiás – que já dão indícios do que está por vir com seu álbum de estreia.

Se um impulso une Rita à PAPISA, é preciso estar atento aos detalhes, olhar ao redor, sentir os aromas da floresta e tatear o solo fértil para captar o clima do videoclipe da faixa “Intuição”, uma viagem etérea em busca da figura da Sacerdotisa, ou Papisa – inspirada na energia Yin, do princípio feminino, nas mulheres que exerciam funções sacras nas antigas religiões e também no arcano II do tarô de Marselha. Entre árvores e rios, figuras místicas se misturam para desaguar em uma só: quieta, instintiva, intuitiva.

Ao longo do clipe, personagens inspiradas em arquétipos de deusas da mitologia percorrem a natureza em ações onde a sensorialidade prevalece. “As mulheres carregam facetas de todas as deusas dentro de si, e o clipe busca explorar isso de uma maneira pessoal e subjetiva”, revela Rita. O clipe tem direção assinada por Manoela Chiabai, Daniel Barosa, José Menezes

A faixa, uma onda pop e enérgica que fala sobre abrir a escuta para a própria voz interior, lida com contrastes: “É doce mas também tem um clima sombrio, e buscamos trazer essas nuances para o filme”, completa a artista. Na sombra a minha fala encontra outro tom rasteiro/ E a cor da tua cara entrega/ Que minha intuição já viu/ Mas eu não. Movimentos, muitas vezes, revelam por si o que não conhecemos.

SACERDOTISA

PAPISA é autora e executora de sua própria obra, inspirada no arquétipo da sacerdotisa, também representada pelo arcano II do tarô (“A Sacerdotisa” ou “A Papisa”).  A vontade de explorar suas potencialidades levou Rita Oliva, o nome por trás – ou à frente – de Papisa, a gravar todos os instrumentos de seu primeiro single, “Instinto”, e a produzir seu próprio EP, lançado pelo selo pernambucano PWR Records – dedicado exclusivamente a bandas com mulheres. Atualmente, PAPISA se apresenta em formato solo, tocando guitarra e criando loops de voz que convidam o público a um transe místico, enquanto o pulsar de beats e programações incita o despertar dos sentidos do corpo.

REDES
papisabrisa.com
fb.com/papisabrisa
instagram.com/papisabrisa

Mudanças e saudade de casa são temas de “I’m Homesick”, novo clipe do Hover

A mudança é inerente à natureza, e com o ser humano não é diferente. Mudar de casa ou de país, seja por força do destino ou não, é um deslocamento que nos faz crescer. A letra de “I’m Homesick” traz a ideia da saudade de casa e da busca por pertencimento. Qual é o lugar que te faz sentir-se em casa? Para os músicos do Hover, é Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro. O clipe para o novo single foi filmado inteiramente na Cidade Imperial, tendo como pano de fundo um dos pontos turísticos da cidade: o Museu Imperial.

Muito mais do que uma homenagem à cidade onde a banda foi formada, o clipe faz um apanhado das ruas mais conhecidas do Centro Histórico: Avenida Köeller, Rua da Imperatriz, Avenida Ipiranga e o entorno da Catedral de São Pedro de Alcântara, mais um dos cartões postais da cidade. A ideia de registrar esses locais no clipe serve para ilustrar a temática da saudade de casa e o sentimento de pertencimento a algum lugar – ou a falta desse sentimento.

“Todo mundo que sai do ninho acaba tendo essa sensação, de não se sentir em casa em nenhum lugar – pelo menos por um tempo. E há também casos mais sensíveis e dramáticos, como a situação de imigrantes ou pessoas que perderam as casas em tragédias. A gente tentou canalizar todo esse escopo de sentimentos no clipe. O cenário, formado por caixas e outros elementos, remete a exatamente isso: mudança, ruptura, transformação.”, explica Lucas Lisboa, guitarrista do Hover.

O vídeo marca a despedida do baixista do grupo, Pedro Fernandes, que se mudou de país. Atualmente, a formação do Hover é, além do Lucas, Saulo von Seehausen (guitarra e voz), Felipe Duriez (guitarra) e Álvaro Cardozo (bateria). A música “I’m Homesick” faz parte do disco de estreia da banda, “Never trust the weather”, lançado em 2016. O trabalho revelou uma nova fase do grupo, com composições maduras, sem deixar de lado a força e potência marcantes na identidade da banda, que une o post-grunge ao post-hardcore, com pitadas de stoner e indie.

O vídeo conta com direção, roteiro, montagem e finalização de Fabrício Abramov e Hugo Gama, com direção de fotografia de Artur Medina e assistência de fotografia de Pedro Arantes. A produção ficou por conta da própria banda e de João Felipe Verleun. A direção de arte, cenografia e figurino são de Raquel Theo.

Assista “I’m Homesick”:

Agradecimentos: Museu Imperial, Leandro Bronze, Vinicius Junqueira, Paulo Maganinho, Pedro Caldara, Fábrika de Sons, Estúdio Aldeia e Cláudia Pessanha.

Ficha técnica da faixa I’m Homesick, do disco ”Never Trust The Weather” (março de 2016)
Produção: Diego Marx
Co-produção: Saulo von Seehausen
Engenharia de som: Vinicius Junqueira e Victor Conde Nogueira
Edição: Márcio Biaso e Ricardo Ponte
Mixagem e masterização: Ricardo Ponte

Trayce divulga videoclipe inédito da faixa “O Culto”

Foto: Filipe Navares

Música integra disco Miragem, terceiro da carreira da banda, lançado no começo deste ano

A pista cheia, a banda em ação e um som pesado compõe o quadro narrativo de “O Culto”, novo videoclipe da banda de rock Trayce. A canção faz parte do álbum Miragem, o terceiro do grupo paulista, lançado no começo deste ano.

Filmada durante o show de lançamento do disco em São Paulo, no tradicional Clash Club, a produção exibe os integrantes Raphael Castejon (vocal), Rafael Palmisciano (baixo), Fabricio Modesto (guitarra), Cadu Gomes (bateria) e Alex Gizzi (guitarra) executando a música para o público que lotou a casa no último mês de abril, além de algumas cenas de bastidores.

Com imagens de Gustavo Amaro e Thiago Ferreira, “O Culto” teve direção e edição do vocalista Raphael Castejon.

Trayce

Fundada em São Paulo no ano de 2008, a banda de rock Trayce é formada pelos integrantes Raphael Castejon (vocal), Rafael Palmisciano (baixo), Fabricio Modesto (guitarra), Cadu Gomes (bateria) e Alex Gizzi (guitarra). De lá para cá foram dois discos lançados e shows realizados em diversas cidades brasileiras. Neste ano de 2017 abrem as atividades com o lançamento de Miragem, novo disco cheio produzido pela própria banda e por Wagner Meirinho (Loud Factory), em São Paulo (SP), onde o álbum foi gravado, mixado e masterizado.

Facebook
Twitter
Instagram
Site Oficial

YouTube
Spotify
Deezer
GooglePlay

Confira “Mergulho” o novo clipe da cantora Gabriela Garrido

Foto roubada do Facebook da Cantora!


A cantora e compositora carioca Gabriela Garrido lançou recentemente um clipe para a faixa-título do seu primeiro EP, “Mergulho”, lançado no ano passado.

O nome da música é bem auto-explicativo: ela fala sobre a sensação de se entregar, de estar imerso no que você ama, de ser verdadeiro consigo mesmo. O vídeo funciona como uma confissão, e os jogos de luz querem transmitir diferentes emoções e traços sendo aos poucos revelados.

Um segundo EP já foi gravado e será lançado no segundo semestre. Enquanto isso, “Mergulho” e as outras faixas do disco estão disponíveis nas principais plataformas digitais.

Assista ao clipe aqui:

Facebook: https://www.facebook.com/gbrgarrido/

Contato: gabrielagcontato@gmail.com

Alvares apresenta releitura soturna para canção de Cícero

Foto: Marina Choinski

Alvares apresenta uma versão em verdadeiro contraste para “Ensaio Sobre Ela” de Cícero. Com o peso e os traços fortes do rock alternativo, o cantor faz deste cover uma releitura bem original. A gravação faz parte de uma série de vídeos inaugurada com a música “K.O”, da cantora Pabllo Vittar. Munido apenas de sua voz e um teclado, a performance fica mais sincera e autêntica.

A música de Cícero faz parte do álbum de estreia do cantor, “Canções de Apartamento”, lançado em 2011. O disco lançou a carreira do músico, chegando a ser considerado um dos melhores do ano por diversos sites especializados. Da mesma forma que o trabalho se tornou a porta de entrada para Cícero na música, Alvares utiliza a canção “Ensaio Sobre Ela” para dar um novo significado sonoro à música, convidando para a reflexão.

“É a minha favorita do disco e eu acho a melodia bonita. Ela tem um quê nostálgico e acho ela bem atemporal!”, reflete o Alvares.

O cantor leva o ouvinte para novas experiências sonoras, embasadas no violão combinado a reverbs e delays. Ele já lançou o EP “Sala de Estar Experimental – Volume 01” e, em 2017, divulgou o novo EP, “Primeiro”. Os trabalhos são lançamentos do selo carioca DALS Records.

A canção está disponível no canal oficial no YouTube de Alvares. Assista a versão de “Ensaio Sobre Ela”, com direção e edição de Pedro Oliveira:

Movimentos da maré inspiram novo clipe de Sarah Abdala

Só se perde quem está a procura de um lugar e é a busca por um porto seguro a inspiração da canção “Cavalgada”, de Sarah Abdala, que acaba de ganhar um clipe. O primeiro single do novo álbum “Oeste” traz os principais elementos que regem o novo rumo do trabalho da cantora: a utilização do sintetizador e a simplificação dos arranjos. O disco lançado pelo selo Rock It!, comandado por Dado Villa-Lobos (Legião Urbana), traz a produção da própria Sarah Abdala ao lado de Eduardo Manso (Ava Rocha).

A música é embebida em uma mensagem forte, de pertencimento e de jornada. Muito mais do que chegar a algum lugar, também é importante considerar quais foram os caminhos que o levaram até lá. Tal como a maré que não segue nenhuma lei – a não ser a da natureza -, também deve ser o indivíduo em busca de seu lugar.

“É uma música que representa bem o disco. A mensagem desse clipe é de alguém que está em uma jornada, chegando em um lugar desconhecido. Essa jornada pode ser notada como geográfica ou psicológica”, define Sarah Abdala.

Gravado com bonitas imagens subaquáticas em um mar ora pacífico, ora inquieto, o vídeo foi dirigido pela artista e conta com fotografia de Guga Millet. A busca mostrada na faixa e no vídeo funciona como uma metáfora para a própria jornada de Sarah. O trajeto que a trouxe até aqui foi iniciado com o disco “Futuro Imaginário”, de 2014. A estreia trouxe arranjos elaborados que formavam uma sonoridade com traços da MPB e do rock alternativo. O trabalho rendeu uma turnê nacional e uma base firme para a criação de “Oeste”, que traz uma compositora amadurecida e à vontade para explorar sensações, sentimentos e ousar como letrista e instrumentista. A ambientação sonora é de intimidade, explorando os sons, as pausas e os ruídos.

Enquanto “Futuro Imaginário” trazia a leveza do ponto de partida, “Oeste” traz a densidade de quem aprendeu novas lições. O minimalismo dos título acompanha o disco até a masterização final, como se exibisse com orgulho as feridas acumuladas com o tempo. “Oeste” é pertencimento, lugar e origem, com letras que se tornam universais.

Assista “Cavalgada”:

Supercombo divulga novo clipe da faixa “Bonsai”

A mente como refúgio e meio de transporte para as melhores viagens é o que canta a Supercombo na canção “Bonsai”, que ganha hoje um videoclipe novoveja aqui – e nas próximas semanas uma coletânea com três versões diferentes além da original, uma “radio edit” e uma acústica –, em todas as plataformas digitais, via Elemess. A música faz parte do álbum mais recente do grupo, Rogério (2016).

Com imagens captadas durante um show em Brasília (DF), no Estádio Mané Garrincha, o vídeo apresenta Leo Ramos (guitarra e voz), Pedro “Toledo” Ramos (guitarra), Carol Navarro (baixo) e Paulo Vaz (teclado) em diversos momentos, todos eles típicos na vida de uma banda que está sempre na estrada. Brincadeiras e distrações nos bastidores e esperas em salas de embarque, além de cenas explosivas dos músicos em ação sobre o palco e a reação do público aparecem na produção.

“Bonsai” teve produção, direção e câmera de Filipe Rodrigues e edição e finalização por Marina Alves.

Supercombo
Com base fixa em São Paulo (SP), a Supercombo é uma banda brasileira de pop rock formada por Leo Ramos (guitarra e voz), Pedro Ramos (guitarra), Carol Navarro (baixo) e Paulo Vaz (teclado). Na ativa desde 2007, o grupo já possui quatro discos lançados: Festa? (2007), Sal Grosso (2011), Amianto (2014) e Rogério (2016), atual disco de trabalho e com shows rodando todo o país.

crédito imagem: Filipe Rodrigues

Facebook
YouTube
Deezer
Spotify

Não Perturbe: MALLI cansou de você

Esse é o ano da MALLI: a cantora, compositora e baixista abalou corações no começo de 2017, levando um público curioso e entusiasmado a imitar os passos vogue do clipe La Nave Va.

Agora, dá pinta ao vivo com a inédita Não Perturbe. Um grito forte o suficiente pra te afastar, já que ela cansou de você. “Só me mande notícias se valer a pena e se forem boas”, ela canta na performance visceral.

Uma faceta mais agressiva da artista, que recentemente (e gravidíssima) também mostrou a faixa Ladeira. “Gosto de encarnar meus extremos. Bato o quadril na lambada e corto os pulsos no drama. Sou muito exagerada”, revela

Entre cores escandalosas e maquiagem sombria – meio Ney, meio Portishead – MALLI da amostras do que podemos esperar de seu disco de estreia, produzido pelo multi instrumentista Rafael Castro e com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2017.

MALLI

Site: http://www.mallimusic.com/
Facebook: https://www.facebook.com/mallimusica
Instagram: https://www.instagram.com/mallimusic

Não Perturbe (Ao Vivo) – https://youtu.be/Kxq9z1ujko0
Ladeira (Ao Vivo) – https://youtu.be/NiAIqWOD5_c
La Nave Va (Clipe) – https://youtu.be/-JCsPVUKWIM

Não Perturbe
Captação de áudio e vídeo: Estúdio 185
Produção: Juka Tavares
Produção musical, edição, colorgrading e mixagem de áudio: Rafael Castro

Banda
MPC e Pecurssão: Rafael Rodrigues
Guitarra: Daniel Cohen
Trompete: Natan de Oliveira
Guitarra e Teclado: Rafael Castro

LETRA
Sem me perder no caminho
me deixo levar
porque o seu papo ficou chato
Bobo

Você abusou do carinho
Foi longe demais
E tanta ternura me sufoca
Choca

Não me perturbe mais
Me deixa um pouco em paz
Só me mande notícias se valer a pena
e se forem boas.

Lutre apresenta “Apego” em sessão ao vivo

A banda goiana Lutre acaba de lançar seu álbum de estreia, “Apego”. Agora, é possível conferir a faixa-título em uma interpretação intimista no vídeo da série “Magrela Convida”. O registro acompanha Marcello Victor em uma performance solo, já que a canção é construída apenas com a sonoridade de sua voz e guitarra.

Além de Marcello, a Lutre é formada por Chrisley Hernan (baixo) e Jefferson Radi (bateria), que caracterizam o som desse power trio. No entanto, para apresentar “Apego”, o vocalista aparece em formato reduzido, mantendo o arranjo minimalista apresentado no álbum. Para trazer mais texturas, os pedais ajudam a criar loops que seguem em execução mesmo após o último acorde.

Marcello assina esta e as demais letras de “Apego”. Talvez por isso, a canção transmita uma forte vibração de intimidade e cumplicidade. A inspiração vem das inquietudes de uma juventude criativa e inovadora, como tem sido o caso da Lutre e de outras bandas que surgem na cena independente de Goiânia. O trio de rock alternativo surgiu em 2015 e no pouco tempo de existência, já passou por palcos importantes como o Festival Bananada e Festival Vaca Amarela em sua tour nacional. A intensidade de suas canções é característica marcante do já elogiado álbum de estreia.

Nada mais justo que apresentar esta versão ao vivo na sessão Magrela Convida, realizada pela produtora audiovisual independente Magrela Filmes, que assina produção, direção e edição. Pelo projeto já passaram convidados como os também goianos Boogarins, Brvnks, Hellbenders e Carne Doce, além de Duda Brack, Baleia, Liniker, Francisco El Hombre e Ventre, esta última presente no álbum da Lutre como co-produtora.

Confira “Apego” ao vivo:

Ouça “Apego”:
https://www.youtube.com/watch?v=GI4LNcsm59s
https://open.spotify.com/album/5yqbFJmkoLe0d2HPz3Q2dT
https://soundcloud.com/lutre-oficial

Deb and The Mentals lança novo videoclipe, “Mess”


Música dá nome ao primeiro disco do grupo, lançado este ano via Läjä Records

Uma bagunça. Assim é o novo videoclipe da banda de rock Deb and The Mentals, “Mess”, lançado na sexta-feira passada (09/06) – veja aqui. A faixa, que dá nome ao primeiro disco do grupo, lançado em março deste ano, via Läjä Recordsouça aqui – é também o segundo vídeo produzido e feito inteiramente pela própria banda.

De sonoridade noventista e sem frescura, a Deb and The Mentals é composta por Deb Babilônia (vocal), Guilherme Hipolitho (guitarra), Bi Free (baixo) e Giuliano di Martino (bateria), que intercalam instrumentos durante todo o vídeo.

Foi na antiga sede da agência Carme, em São Paulo (SP), que o grupo encontrou o cenário perfeito: o banheiro da empresa, cujas paredes eram completamente adornadas com quadros dos mais diversos tamanhos, cores e formatos. “Eu já trabalhei lá e adorava aquela decoração. Toda vez que eu ia ao banheiro, pensava: eu ainda vou gravar um clipe aqui”, revela o baterista Giuliano Di Martino.

Já o formato de filmagem escolhido foi aquele com a cara e o jeito da banda: um ‘do it yourself’ completo, feito em quatro takes – um para cada troca de integrantes –, todos capturados por uma Go Pro grudada na parede.

A edição, simples e rápida, durou um dia e foi realizada pelo próprio Di Martino. “O clipe não teve roteiro e nem combina com a letra. Além disso, a própria música pode ter um significado diferente para cada pessoa que escuta, assim como o clipe. Não pensamos em nada disso, mas acabou rolando”, entrega o baterista e diretor do vídeo sobre o pequeno caos metalinguístico criado.

O próximo show da Deb and The Mentals está marcado para dia 17 de Junho, em Vila Velha (ES), dentro do Läjä Festival Vol. 01, da Läjä Records.

Veja o videoclipe “Mess”

Läjä Festival Vol. 01 – Vila Velha (ES)
data: 17 de junho de 2017 (sábado)
local: Correria Music Bar (Av. Est. José Júlio de Souza, 740 – Praia de Itaparica)
horário: 16h
entrada: Grátis

Sobre Deb and The Mentals
Formado em 2015, em São Paulo, Deb And the Mentals é um dos novos e mais promissores nomes da cena roqueira independente nacional da atualidade. Com um EP lançado em 2015 – Feel The Mantra – o grupo composto por Deborah Babilonia (vocal), Guilherme Hypolitho (guitarra), Bi Free (baixo) e Giuliano Di Martino (bateria) caiu na estrada tocando em diferentes estados brasileiros, incluindo aí duas participações marcantes: no festival potiguar DoSol e no paulista SIM SP, ambos em 2016. No começo de 2017 a banda lançou seu primeiro álbum cheio, Mess, com produção de Alexandre Capilé, via Läjä Records. Em Junho do mesmo ano divulgaram o videoclipe da faixa titulo, produzido pela própria banda.

Facebook
Instagram
Twitter

YouTube
Spotify
Deezer
Google Play

Whipallas lança novo single e clipe estrelado por Tonico Pereira e Regina Sampaio

Foto: Rodolpho Pupo

Amor e paixão não têm idade – e nem lugar certo para acontecer. Dois idosos não resistem ao desejo e à vibração das guitarras no novo vídeo do Whipallas. “Boogie Boogie”, canção que antecipa o próximo EP da banda carioca, estreou nas plataformas de música online e já ganha um clipe, protagonizado por Tonico Pereira e Regina Sampaio.

O palco dessa história de amor é uma farmácia, uma alegoria para as dores de um coração partido. Pedro Lenz (voz e guitarra), Márcio Biaso (guitarra), Jayme Monsanto (baixo), Bernardo Massot (teclado e synth) e André Coelho (bateria) são testemunhas na narrativa desse reencontro acalorado. Enquanto versos como “let’s get back together” ecoam em cena, os personagens mostram a sua natureza lasciva.<

“A ideia surgiu muito a partir da letra, que basicamente fala do encontro de duas pessoas idosas que se apaixonam de novo loucamente, apesar da idade. Por que não, né? O amor pode e deve ser vivido em todas as suas formas, e é muito bonito de ver relacionamentos que atravessam o tempo ou simplesmente saber que pessoas de mais idade estão se aventurando num amor ou numa paixão novamente. Outra inspiração pra essa música foi minha avó, de 95 anos. Ela tem uma vitalidade incrível e outro dia falou que tinha se apaixonado de novo, mas que passou rápido (risos). Acho que o amor é um tema rico demais para não se explorar. Aliás, o mundo tá precisando”, revela Pedro Lenz.

A ideia de utilizar uma farmácia como cenário veio do diretor Philippe Noguchi, em sua segunda parceria com o Whipallas. Com o cineasta, a banda realizou também o vídeo de “Battlefield”, produção que marcou presença na mostra competitiva do festival Curta Brasília no ano passado.

Nada melhor do que dois atores do calibre de Tonico Pereira e Regina Sampaio para dar forma à história inusitada de “Boogie Boogie”. Ele, conhecido por papéis na teledramarturgia em A Grande Família, Gabriela e Anos Dourados, além de filmes como “Menino Maluquinho” e “Caramuru – A Invenção do Brasil”; ela, trazendo experiência em novelas como Avenida Brasil e Totalmente Demais. Juntos, Tonico e Regina dão vida a esses dois personagens no ritmo do rock inspirado pelo indie e pelo rock 60s e 70s do Whipallas.

Após o elogiado EP homônimo, lançado em 2016, a banda alça novos voos as canções que vêm por aí. Dando o pontapé inicial à divulgação do próximo trabalho, “Boogie Boogie” sai também como single, já disponível online. Além dela, outras composições estão previstas para formar um novo compacto. “São músicas que já estávamos trabalhando há um tempo. Tentamos escolher canções que faziam sentido para esse momento, que é de certa forma uma continuidade do primeiro EP e ao mesmo tempo uma oportunidade de experimentar. Aí paramos um bom tempo para produzi-las com carinho, cada uma com a sua cara, a sua pegada, o seu recado, mas sem perder essa identidade que começamos a construir. Tínhamos outras músicas que adoramos também, mas parece que ficaram para o próximo disco”, adianta o vocalista.

Assista o clipe de “Boogie Boogie”:

Ouça “Boogie Boogie”:  https://milkdigital.lnk.to/BoogieBoogie

“Boogie Boogie”:
Composição de Jayme Monsanto e Pedro Lenz
Gravado e mixado na Sonido por Bernardo Massot
Masterizado na Magic Master por Ricardo Garcia
Produzido por Whipallas

Ficha técnica do clipe:
Roteiro e Direção – Philippe Noguchi
Produção Executiva: Daniel Lira e Philippe Noguchi
Produção: Sofia Maldonado
Direção de Fotografia – Daniel Venosa
1º Assistente de câmera – Fernando Macedo
2º Assistente de câmera – André Andrade
Gaffer – Lucas Stirling
Steadicam – Dudu Mafra
Maquinista – Rodolpho Pupo
Som direto – Caíque Melo

Figurino: Carol Azevedo
Contra-regra: Luz de Lucena
Montagem e correção de cor: Philippe Noguchi
Mixagem: Bernardo Massot

Elenco: Tonico Pereira, Regina Sampaio e Whipallas
Agradecimento especial – Drogasmil

Letra:
Boogie Boogie

I wanna call you in the middle of the night
But I should probably wait until sunrise
Cause I miss you so bad, I know you want me back
So let’s do it, do it

And if you hit me up
I’ll never turn you down
I’ll take my chances till we’re dancing round n’ round
Cause I miss you so bad, I know you want me back
So let’s boogie, boogie

We can be in love again, yeah
I’ve been waiting such a long long time
We can be young again, yeah

I want another chance, I’ll meet you back in time
But I should probably wait until midnight
Cause I feel like a lad, and you still drive me mad
So let’s do it, do it

And if you pick me up
I’ll show you the whole town
I’ll take my chances till we’re dancing round n’ round
Cause I miss you so bad, I know you want me back
So let’s boogie, boogie

We can be in love again, yeah
I’ve been waiting such a long long time
We can be young again, yeah

Let’s get back together
Let’s get back together
Been such a long, long time

Limonge lança curta com animação

A produção conta a história da música “Bolso”

O primeiro single “Geração 90” do paulistano Limonge,  repercutiu em diversos veículos de comunicação e, ainda, foi um dos finalistas do concurso Energia Me Ouve, uma das maiores competições de bandas independentes do país.

Agora para aproveitar o dia dos namorados, o artista lançou através da página Brasileiríssimos com 09 milhões de seguidores, seu novo single e clipe “Bolso”. A música romântica será o último single trabalhado de seu primeiro álbum, pois o cantor já está em estúdio gravando seu novo material.

A animação é de Daniel Suzigan, com roteiro do próprio cantor e João Paulo Soares. “A ideia foi criar uma analogia pra exemplificar o encontro de duas pessoas como se fossem almas gêmeas, interesses em comum e coincidências que só quem já amou um dia consegue entender”, comenta o cantor.

Assista o clipe:


Limonge

Paulista de 29 anos, completa 2 anos de carreira agora em 2017. Cantor, compositor e multi-instrumentista, assina a produção total dos EPs Tão Normal e O Tempo. Em setembro de 2016 lançou o primeiro disco da carreira, batizado de “Éramos nós, sempre seremos”. O álbum é uma junção dos dois EPs com algumas faixas inéditas, destaque para “Luz”, “Geração 90” e “O tempo”. As influências vão de Bob Dylan a Pearl Jam, passando por grandes nomes do rock nacional como Legião Urbana e Cazuza.

Contato para shows: contato@geracaoy.net
Contato para imprensa: imprensa@geracaoy.net 

Links oficiais:
http://www.limonge.net
https://www.facebook.com/LimongeOficial
https://www.youtube.com/limonge
https://goo.gl/BTL6TH

Camões homenageia Baixada Fluminense no clipe de “Nova Aurora”

Canção inspirada em Belford Roxo embarca em verve pop

O carioca way of life sempre inspirou as composições de Camões, cantor e compositor que mescla a musicalidade brasileira a batidas eletrônicas. Assumindo seu lado mais pop, ele divulga a canção “Nova Aurora”, que já chega com um clipe. A inspiração veio da Baixada Fluminense e das cidades que ficam às margens da capital fluminense. O clima é festivo, assim como os moradores do bairro que deu nome à música.

Nova Aurora fica em Belford Roxo, um dos municípios que integram a região metropolitana do Rio de Janeiro. Após uma primeira visita, em uma comemoração de aniversário, Camões pensou em homenagear o lugar e suas pessoas. “Nova Aurora representa o meu interesse cada vez maior por fazer músicas mais democráticas, que comuniquem algo a mais pessoas. Nunca tinha ultrapassado a carapaça de motéis, lojas de piscina e fogos de artifício da Avenida Brasil e descobri um novo universo de gente de verdade, com coração gigante e senso de comunidade. Quando voltei pra casa depois daquele festão, foi irresistível pegar a viola e fazer uma canção sobre o lugar”, lembra o compositor.

Em Nova Aurora, a festa começa no sábado e só termina ao meio dia de domingo. Para abrir o apetite, salgadinhos; depois chega a hora do churrasco, e ainda tem caranguejada ao amanhecer. “Isso que é rave. Quando a música ficou pronta, não havia nada melhor para ilustrá-la do que a própria festa. Então resolvi filmar o clipe no aniversário de 58 anos da Santa, que trabalha há muitos anos na minha casa, registrando toda a alegria desse cantinho especial do Rio”, conta.

A canção vem para inaugurar um novo momento na carreira do artista. “Nova Aurora” será a primeira faixa de um álbum completo, sucessor dos elogiados EPs “Cupim” e “Anilina”. Na nova música, já é possível sentir um caminho mais orgânico, optando por uma bateria (tocada por Gabriel Nigri e captada por Junior Neves), acompanhando as batidas eletrônicas que se tornaram parte intrínseca do trabalho de Camões. O objetivo é uma estética que remete ao início dos anos 80, com sonoridades que ecoam George Benson e Tom Browne.

“Essa música é um respiro na narrativa de aflições amorosas que vinha construindo. Tenho tido mais interesse pelo que alegra do que pelo que agonia. Acho que ‘Nova Aurora’ traz essa leveza”, analisa Camões.

O trabalho do contar é permeado de letras cheias de lirismo, poesia, franqueza e bom humor. Seus mais recentes lançamentos são marcados pela pluralidade e experimentações. Camões usa o pop como base em uma evolução técnica e artística, faceta que não deixou de lado para este novo trabalho. O álbum tem previsão de lançamento ainda para este ano.

Indo na contramão de “Anilina”, onde exercitou seu lado de produtor em home studio, Camões convida músicos talentosos para comporem a sonoridade do álbum. Assim, ele explora novos limites com Antonio Dal Bó (synths), Gabriel Nigri (bateria) e Giordano Bruno (baixo em “Nova Aurora”), enquanto Camões assina novamente a produção. Já as letras não se limitam aos encontros e desencontros amorosos, expandindo o olhar para novas temáticas. “As duas músicas que tratam do tema têm mais a ver com aceitação, tanto do que passou quanto do que está para começar. Nas outras canções, levo meu olhar cronista pra novos horizontes: ‘Nova Aurora’ é sobre uma festa. ‘Só Na Cena’, sobre os anseios de um artista. ‘Pista 3’, sobre ressaca e liberdade. ‘Trava Vida’ é sobre ansiedade e por aí vai”, adianta.

Ao mesmo tempo em que olha para frente, Camões retorna a referências sonoras e visuais para apresentar este novo momento. O clipe assume a nostalgia, adotando uma estética de filmes caseiros, buscando a mesma sensação familiar da canção. Fábio Nogueira e Neno Andueza assinam direção e fotografia do vídeo.

Assista o clipe de “Nova Aurora”:

Ouça “Nova Aurora”: https://milkdigital.lnk.to/NovaAurora

Medulla retrata a beleza e a naturalidade do sexo em novo clipe

Inspirado nos filmes adultos da diretora Erika Lust, “Abraço” é interpretado por diferentes casais em cenas de erotismo e cumplicidade

Um tabu sempre vem acompanhado de muitos estigmas e proibições culturais, sociais ou religiosas. Quando o assunto é sexo, percebemos o quanto ainda existem padrões a serem quebrados e superados: este é o mote do novo videoclipe do Medulla. “Abraço” compõe o último álbum da banda, intitulado Deus e o Átomo (2016). O vídeo, lançado hoje, apresenta cenas intensas de envolvimento sexual e amoroso entre casais fora dos padrões, sejam eles estéticos ou de gênero.

A faixa, a quinta do álbum, é uma balada de tons jazzísticos que passeia com desenvoltura pelo trip hop. Com uma sonoridade suave e leve, a letra e a música de “Abraço” contrastam com a sequência de imagens, fazendo com que o clipe adquira uma estética sensual e contagiante. O resultado desta fusão também é apresentado na obra através de um aspecto ainda mais interessante que gira em torno do sexo: o da naturalidade.

As cenas são orquestradas com jogos de luzes e ângulos não convencionais, revelando uma perspectiva de descoberta e autoconhecimento.  O clipe de “Abraço” foi dirigido por CUPA, e tem a participação especial das artistas Priscilla “Apropriadamente” e Jacque Jordão, que encenam com seus respectivos pares em diferentes momentos do vídeo.

A banda, formada por Keops e Raony (vocais), Alex Vinicius (guitarra/synth) e Tuti AC (baixo), se inspirou nas obras da diretora de cinema adulto independente, roteirista e produtora Erika Lust. Seus filmes já foram considerados “pornografia feminista”, devido às narrativas de cinema adulto apresentadas por Lust, onde são expostos pontos de vista femininos e percepções de mulheres sobre o sexo.

Veja o clipe:

Ficha Técnica 
Diretor: CUPA
Fotografia: Leo Kawabe
Direção de arte: Carol Irsai
Assistente de direção: Keops
Assistente de fotografia: Gaffer Beck
Edição: Boquinha, Gabriel Cupaiolo e Keops
Design: Raony
Figurino: Carol Irsai e Marie Nepomuceno
Make up: Bianca Megda
Produção: Medulla, Camilla Campos e Nathalia Meneses
Catering: Natalia Lackeski
Atores na ordem de aparição no clipe: Priscilla “Apropriadamente”, Pablo, Carolina Metzner, Lucas Brum, Jacque Jordão, Yasmin Lackeski, Fábio Alves e Bruno Bispo
Gestão de Carreira/Label: Elemess

Sobre o Medulla
Formado no Rio de Janeiro pelos irmãos e vocalistas Keops e Raony, além dos músicos Alex Vinicius (guitarra) e Tuti AC (baixo), o Medulla é um grupo de hip-rock que utiliza de elementos como o trap, o jazz e o trip hop em sua sonoridade. Com fãs espalhados por todo o Brasil, a banda é conhecida pelos shows catárticos. Com letras sobre superação, sobrevivência e adversidades, a discografia do grupo é formada pelo disco O Fim da Trégua (2006) e os EPs Akira (2008), Talking The Machine (2009), Capital Erótico (2010) e O Homem Bom (2013), obras que deram origem à compilação MVMT (2014). Em 2016, lançou pela Elemess o seu segundo álbum de inéditas, Deus e o Átomo, produzido por Pedro Ramos (Toledo) e mixado e masterizado por Leonardo Ramos, ambos integrantes da banda Supercombo e Fernando Martinez. Em 2017, a banda – agora radicada em São Paulo – leva a turnê Deus e o Átomo a diferentes palcos pelo Brasil.

Ouça Deus e o Átomo
Spotify
Deezer
Google Play
iTunes
Youtube

Medulla nas redes sociais
Facebook
Instagram
Twitter

Política, poder e manipulação são temas de “Voiceless”, novo lyric video da The Upperground

A situação política no Brasil está polarizada e – mais do que nunca – faz parte do cotidiano do cidadão. O atual cenário é prato cheio para incentivar a população a discutir formas de melhorar o país.  A banda The Upperground, de São Paulo, fala sobre o assunto no hardcore nervoso da faixa “Voiceless”, que acaba de ganhar lyric video, desenvolvido por Thiago Vignoto e Gabriela Alonso, da Vig Filmes.

A música foi escolhida por tratar de alguns temas que estão em voga no momento, como ganância, poder, manipulação, e uma população que aguenta calada os absurdos e abusos. “Entendemos que a letra é um alerta sobre o cenário atual e que a solução está em nossas mãos, na união”, conta o baterista Johnny Vignoto.

O visual do vídeo surgiu a partir da ideia de misturar vários pontos de vista, do individual ao coletivo, do caos ao regular, do bonito ao feio. De acordo com Johnny, a intenção é de caos organizado, fazendo referência à manipulação retratada na música.

“O cenário atual pede que a essência do hardcore seja resgatada. Ir contra o sistema são temáticas que fazem parte da origem e essência do rock, muito mais latentes no punk e no HC. Achamos que o hardcore não é apenas um estilo de música, é também cultura e estilo de vida”, finaliza.

Com apenas um disco de estúdio, o The Upperground movimenta o cenário independente. As canções do primeiro álbum, “First Floor” (2015), tornaram-se representantes de uma nova geração underground que injeta novo fôlego na cena. A banda é formada por Pedro Spadoni (voz), Ivisen Lourenço (guitarra), Danilo Pirola (guitarra), André Spadoni (baixo) e Johnny Vignoto (bateria).

Assista:

Lary lança clipe de “Vê Se Tá Bom Assim”


Canção faz parte do EP “Salto 15”

A cantora Lary lança hoje, dia 06, o terceiro clipe do EP “Salto 15” e a canção escolhida foi “Vê Se Tá Bom Assim”. A gravação aconteceu em Niterói, na mesma casa onde gravou o clipe do seu primeiro single “Match”.

Foram mais de 15 horas de gravação com 6 cenas e looks diferentes. Para essa nova fase, Lary preparou um clipe totalmente diferente do último lançado, “Salto 15”. O curta não tem coreografia e bailarinos, mas Lary garante muita diversão e diz que não deixou a sensualidade de fora.

“O clipe faz uma crítica bem humorada aos conceitos de ‘mulher perfeita’, com base no Guia da Boa Esposa, publicado pela revista Americana Housekeeping Monthly, na década de 50”, explica Lary. “Queremos passar a mensagem de que a mulher não precisa seguir moldes para ser perfeita. A perfeição está naquilo que a faz feliz”, completa.

Durante o clipe, a cantora contracena com Bernardo Velasco, próximo protagonista da nova novela da Record, Belaventura.

A direção do clipe, que está disponível em seu canal no Youtube, é de Belinha Lopes, da Bellart Filmes, e a produção da LM Music. “Vê se tá bom Assim” é uma composição de Lary e DJ Batutinha.

Assista aqui – https://www.youtube.com/watch?v=-xHyz3MkSyc

 

Bruno Nadav lança releitura R&B para sucesso de Fábio Jr.

Após os singles “Tão só” e “Encontrar você”, que apresentaram seu estilo pop romântico ao público, o cantor carioca Bruno Nadav lança “Só você” em uma sessão gravada ao vivo. O sucesso de Fábio Jr. ganha contornos eletrônicos com a utilização de beats suaves, sem perder o vocal inspirado pelo R&B de Bruno.

O vídeo faz parte da RnB Sessions e foi gravado no Montanha Estúdio, casa do selo que disponibiliza as novidades de Nadav em lançamentos digitais. A interpretação minimalista dá destaque para a melodia já tão conhecida pelo público, desenvolvendo um crescente climático e intenso, ao mesmo tempo em que joga luz sobre essa releitura cheia de personalidade.

O jovem cantor de 26 anos trabalha hoje os primeiros singles do EP de estreia, previsto para este ano. Talento de uma comunidade artística e alternativa no Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro, Bruno leva como influência sua paixão pela black music, onde encontrou inspiração em vozes marcantes, de Stevie Wonder a Brian McKnight e Boyz II Men. Em seu EP, ele une em suas canções a entrega emocional do R&B com a malemolência do carioca way of life.

Assista “Só você”:

Almir Chiaratti lança vídeo ao vivo com participações especiais

Foto: Ana Rovati

“Ne T’inquiète Pas” integra o álbum “Bastidores do Sorriso”

Foi em 2015 que Almir Chiaratti surgiu no cenário nacional, com seu disco de estreia “Bastidores do Sorriso”. Desde então, o álbum entrou para listas de melhores lançamentos daquele ano e rendeu muitos outros vídeos e um EP ao vivo, além de ter aberto o caminho para o novo single “Terceiro Turno”. Agora Almir se dedica às gravações do próximo disco e se despede de “Bastidores” com um vídeo ao vivo para a canção “Ne T’inquiète Pas”. Para esta performance, o artista convidou a cantora Thársila di Britto e o saxofonista Mateus Da Silva.

Enquanto Mateus integra a banda fixa de Almir e marcou presença nas gravações do álbum com seu sax alto, Thársila é uma nova voz no já tradicional dueto da canção. Dona de um timbre ao mesmo tempo doce e potente, ela também complementa a melodia com seus ukelele e kazoo. Almir, por sua vez, faz o contraponto vocal e assume o violão barítono. A gravação aconteceu no estúdio MIRA, com imagens de Zéca Vieira e Thales Zagalia; som e mixagem de Rodrigo Miguez, colorização de Zéca e edição do próprio Almir.

A parceria aconteceu em abril, mas começou bem antes. Thársila integra a Os Dionísios Cia Teatral, que produz noites musicais na Lona Cultural João Bosco, em Vista Alegre, Rio de Janeiro. Almir foi uma das atrações do evento em 2016. Do encontro, surgiram muitas outras parcerias profissionais, culminando nesta releitura de um dos destaques de “Bastidores do Sorriso”. Para o artista, revisitar as canções é uma forma de dar nova vida àquelas composições.

“Eu tenho muito prazer em rearranjar as músicas pois sempre surgem ideias novas. É como se a canção fosse um corpo que você vai mudando as roupas que ele veste, sabe? Sempre dá pra chegar num lugar que a gente nunca imaginou e vez por outra nascem canções desse exercício. O que mais me encanta nisso tudo é a infinidade de boas opções que a gente pode ter. É um trabalho delicioso que tende ao infinito. Acho que é meu jeito de lidar com essa necessidade de terminar uma canção para fazer um álbum ou um EP. Me divirto rearranjando as canções em vídeos e nos shows”, explica Almir.

Para esta canção em especial, Almir recebe nos palcos uma voz feminina para acompanhá-lo no dueto, sempre que possível. Thársila estreia nesta canção mas já é conhecida do público por seu trabalho solo. Além de integrar a companhia de teatro, ela é cantora e poetisa. Começou a mostrar releituras ainda em 2012, via YouTube, até que gravou a canção “Mês”, do compositor David Coelho. A partir daí, passou a musicar suas próprias letras e já prepara novidades para 2017, incluindo seu primeiro EP, com cinco faixas que iniciaram sua jornada na música.

O encontro do trio em vídeo é um dos passos para o início de um novo capítulo para Almir Chiaratti. O sucessor de “Bastidores” já está sendo gravado com o produtor Eugenio Dale (Ney Matogrosso, Sergio Mendes) e traz para o mix de música brasileira de Almir novas pitadas de psicodelia, música latinoamericana, e experimentalismo. Entre as referências estarão nomes como que vão de Arrigo Barnabé a Jorge Drexler. São novos desafios para quem já traz na bagagem a experiência de um disco construído do zero.

“Eu acho que o que mais mudou no Bastidores foi a maneira como eu escuto as canções que fiz. Se eu voltasse no tempo com a cabeça de agora mudaria tanta coisa que acho melhor continuar colocando minha energia no segundo CD. Sou muito grato por todo o aprendizado que produzir o Bastidores me trouxe e enxergo esse primeiro CD como um retrato do processo que eu vivi. Coloquei tudo de mim e fiz o melhor que eu podia com o que estava ao meu alcance e por isso não me arrependo de nada. No entanto, quando eu toco as canções hoje em dia, eu sempre vou modificando um pouco as coisas para que eu continue me sentindo representado no que faço, sabe? Isso é fundamental pra mim, falar de verdade as coisas que escrevi às vezes significa alinhar um descompasso de visões de mundo entre as canções que fiz e as canções que estou fazendo”, reflete Almir.

Assista o vídeo de “Ne T’inquiète Pas”: https://youtu.be/s494Kf_nrt8

Circo Litoral se autodescobre em “Além do Mar”

Banda baiana gravou seu primeiro videoclipe na Praia da Ribeira, em Salvador (BA)

Carregada de questões mundanas e a constante busca pelo autoconhecimento, a “Circo Litoral, após lançar o álbum de estreia intitulado Além do Mar”, resolveu dar uma representação visual para a música título deste trabalho, que teve a produção assinada por Thiago Ribeiro (Toco y me voy) e Dieguito Reis (Vivendo do Ócio). Com influências da nova cena que mescla rap com música popular brasileira, a faixa aposta em referências como Skank, Banda do Mar e Natiruts.

No clipe, dirigido por Mário Neto, há uma metáfora que compara o mar com experiências já vividas, mostrando que, depois de muito navegar, o verdadeiro “eu” é, enfim, encontrado.

Todas as imagens foram gravadas na Praia da Ribeira, localizada na Cidade Baixa, Salvador (BA), onde vive a maioria dos integrantes do grupo“Para esse material pensamos justamente na transição de um mundo caótico, pautado pela rotina e pela padronização, para um mundo interno de autodescoberta, figurado pela ideia de mergulho nas águas do oceano que contornam o local onde a banda nasceu”.

Assista ao clipe:

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com