SESC Pompéia e as atrações de música para o mês de abril

Black Alien

Black Alien, ex integrante do Planet Hemp, lançou seu primeiro álbum solo em 2004: Babylon by Gus – Vol. 1: O Ano do Macaco. O título do álbum é uma referência ao disco Babylon by Bus de Bob Marley. Doze anos depois, o rapper lança seu segundo álbum solo, Babylon by Gus Volume 2.
Local: Comedoria

*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
R$ 40,00. R$ 20,00. R$ 12,00.
01/04. Sexta, às 21h30
02/04. Sábado, às 21h30

Joana Flor – Lançamento do álbum Indivíduo Lugar

O show marca o lançamento do álbum “Indivíduo Lugar”, da cantora e compositora Joana Flor. Trata-se do primeiro álbum de estúdio de Joana, que foi produzido por Manoel Barenbein (o mesmo produtor do icônico “Tropicália”). No show, Joana apresentará canções do álbum, que contém faixas autorais e releituras de clássicos como “Feito Gente”, de Walter Franco, “A Rita”, de Chico Buarque e “Zamba Bem”, de Marku Ribas, entre outros.
Local: Teatro*
*O Teatro do Sesc Pompeia possui duas plateias (lados par e ímpar) e galerias superiores não numeradas. Por motivo de segurança, não é permitida a permanência nas galerias, de menores de 12 anos, mesmo acompanhados dos pais ou responsáveis.
Não recomendado para menores de 12.
R$ 20,00. R$ 10,00. R$ 6,00.
08/04. Sexta, às 21h

Cláudio Lacerda – Lançamento do álbum Trilha Boiadeira

Quarto CD da carreira do cantor e compositor Cláudio Lacerda, Trilha Boiadeira, dirigido por Neymar Dias, faz uma homenagem à cultura campesina. As canções remetem às lembranças do campo e versam sobre as histórias daqueles que saíram do interior em busca de melhores oportunidades nas grandes cidades. O CD traz composições de Cláudio Lacerda, Adriano Rosa, Renato Teixeira, Carreirinho e Adauto Santos, entre outros. Além de Claudio Lacerda (voz e violão), Luiz Ribeiro (voz e violão), Thadeu Romano (acordeom), Ighor Pimenta (baixo acústico e fretless) e Kabé Pinheiro (percussão). Participação de Neymar Dias.
Local: Teatro*
*O Teatro do Sesc Pompeia possui duas plateias (lados par e ímpar) e galerias superiores não numeradas. Por motivo de segurança, não é permitida a permanência nas galerias, de menores de 12 anos, mesmo acompanhados dos pais ou responsáveis.
Não recomendado para menores de 12.
R$ 20,00. R$ 10,00. R$ 6,00.
15/04. Sexta, às 21h

Lingua De Trapo

Depois de 23 anos, o grupo paulistano Língua de Trapo lança finalmente disco de estúdio com músicas inéditas. Ícones do humor musical, o grupo pretende aproveitar essa ocasião importante para explorar ao máximo sua verve humorística e seu lado teatral, através de um espetáculo que busca resgatar os bons tempos do teatro de revista, mesclando as músicas do disco – que, como sempre, esbanjam humor inteligente e competência musical – com divertidos quadros humorísticos. Na parte musical, contam com o reforço dos arranjos fabulosos e a virtuose musical do jovem Deni Domenico, filho do “linguarudo” Guca Domenico, e com um coral completo, o Lumiá XXI, regido pelo maestro Teco Galatti. Na parte teatral terão o apoio de atores experientes, como Alex Moreno, Murilo Effe e Carla Mercado. E para essa celebração, não poderia ter escolhido espaço melhor do que o Teatro do Sesc Pompeia, onde desde 1984 o grupo lançou todos os discos de sua carreira.
Local: Teatro*
*O Teatro do Sesc Pompeia possui duas plateias (lados par e ímpar) e galerias superiores não numeradas. Por motivo de segurança, não é permitida a permanência nas galerias, de menores de 12 anos, mesmo acompanhados dos pais ou responsáveis.
Não recomendado para menores de 12.
R$ 30,00. R$ 15,00. R$ 9,00.
16/04. Sábado, às 21h
17/04. Domingo, às 19h

Circo Motel – Lançamento do álbum auê

Foi de mãos dadas com o suingue do velho funk e do soul que o Circo Motel criou auê, seu segundo trabalho, após “Sobre Coiotes e Pássaros”, lançado em 2011. Rock soul tropical, é assim que definem a música de seu novo álbum, que viaja pelas obras de ícones do soul e do funk, como Otis Redding, Wilson Pickett e o brasileiro Marku Ribas. O álbum foi produzido por Cris Scabello, do Bixiga 70.
O Circo Motel é Felipe Seabra (baixo), Rafael Charnet (guitarra), Rafael Gregorio (voz), Rodrigo Machado (guitarra) e Thiago Coiote (bateria).
Local: Comedoria
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
R$ 20,00. R$ 10,00. R$ 6,00.
22/04. Sexta, às 21h30

Céu – Lançamento de disco novo Tropix

A cantora e compositora paulistana Céu vai lançar o quarto álbum de estúdio, Tropix. Com capa que expõe foto de Luiz Garrido, o álbum Tropix tem produção assinada por Pupillo com Hervé Salters, tecladista e compositor francês do projeto General Elektriks. Tropix vai ser lançado pelo selo Slap. O repertório é basicamente formado por músicas inéditas e autorais.
Local: Comedoria
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
R$ 30,00. R$ 15,00. R$ 9,00.
28/04. Quinta, às 21h30
29/04. Sexta, às 21h30
30/04. Sábado, às 21h30

PRATA DA CASA

O projeto busca dar visibilidade a novos artistas, grupos e projetos que compõem a cena atual da produção musical brasileira.

show

Bike (SP)

A banda BIKE se atira às investidas psicodélicas de Julito Cavalcante (também baixista do Macaco Bong) no lançamento do disco “1943”, fruto de suas experiências com alucinógenos. A psicodelia do álbum já começa pelo nome, uma homenagem ao Dr. Albert Hoffman, que criou o LSD em abril de 1943 e deu uma volta de bicicleta ao tomar a primeira grande dose. É também uma homenagem a uma canção de Syd Barret, uma das inspirações musicais para o disco. Tem também influências de Pond, Walter Franco, Jards Macalé, Greatful Dead, e o obscuro psych britânico de ‘Piper at Gates Dawn’, do Pink Floyd”. Formada por Diego Xavier (guitarra e voz), Gustavo Athayde (bateria e voz), Hafa Bulleto (baixo e voz) e Julito Cavalcante (guitarra e voz).

Retirada de ingressos com 1 hora de antecedência.

Local: Comedoria.
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
Grátis
05/04. Terça, às 21h

Duda Brack (RS)

Duda Brack lançou recentemente seu primeiro álbum, chamado “É”. Nele a cantora mergulha de cabeça na recriação da criação alheia. Recompõe canções inéditas de compositores contemporâneos, como Dani Black, Celso Viáfora, Carlos Posada, César Lacerda, dentre outros. Com produção musical de Bruno Giorgi (Lenine, Cícero, Baleia), o disco sustenta a tradição da canção, mas desconstrói o modo como esta é explorada através dos arranjos subversivos e originais, assinados pela cantora e sua banda. Com Gabriel Ventura na guitarra, Barbosa na bateria e Yuri Pimentel no baixo. Retirada de ingressos com 1 hora de antecedência.

Local: Comedoria
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
Grátis
12/04. Terça, às 21h

Luiza Lian (SP)

Em 2015 Luiza lançou seu álbum solo de estreia. Integrante do Selo Risco, suas composições partem de influências do blues, do rock’n roll, da tropicália e das tradições populares do Maranhão. Costuradas por um viés feminino, suas canções tratam da sexualidade, do corpo e da espiritualidade. O resultado é um rock brasileiro que se mistura com a música cigana, a cultura popular, o brega, o baião, o rock e o blues, expondo uma forte influência da cultura Lira Paulistana. Retirada de ingressos com 1 hora de antecedência.

Local: Comedoria.
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
Grátis
19/04. Terça, às 21h

Carne Doce (GO)

Fruto da interação do casal Salma e Macloys, o grupo goiano acompanhado de João Victor Santana, Ricardo Machado e Aderson Maia teve seu primeiro álbum eleito um dos melhores nacionais em 2014. Em 2015, a Carne Doce tocou em importantes festivais e casas de shows brasileiros, incluindo Circo Voador (RJ), Festival DoSol (RN), Coquetel Molotov (PE), Transborda (MG), Bananada (GO) e vários outros, e agora produz seu segundo disco. Retirada de ingressos com 1 hora de antecedência. Local: Comedoria.
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
Grátis
26/04. Terça, às 21h

O OVO E O VOO

As relações entre interioridade e exterioridade, espaço íntimo e espaço público estão postas em causa e em cena na ocupação O OVO E O VOO.

show

O OVO E O VOO – show

Show de José Miguel Wisnik, Marina Wisnik e Guilherme Wisnik, com canções autorais, parcerias, em torno do mote dado pelo palíndromo-guia de todo o evento, acompanhados por Alexandre Fontanetti (violão/guitarra) e Sérgio Reze (bateria).
Local: Teatro*
*O Teatro do Sesc Pompeia possui duas plateias (lados par e ímpar) e galerias superiores não numeradas. Por motivo de segurança, não é permitida a permanência nas galerias, de menores de 12 anos, mesmo acompanhados dos pais ou responsáveis.
Não recomendado para menores de 12.
R$ 30,00. R$ 15,00. R$ 9,00.
22/04. Sexta, às 21h
23/04. Sábado, às 21h
24/04. Domingo, às 19h

oficina

O OVO E O VOO – palavra e corpo

Oficina de poesia e corpo, por Marina Wisnik, com participação de José Miguel Wisnik e Guilherme Wisnik. A oficina sensibiliza para a criação poética, transitando entre a análise textual e a experimentação sensorial como estímulo para a criação. O participante deverá ampliar seu repertório através da observação dos elementos constitutivos do gênero literário, aventurando-se na produção de poemas e refletindo coletivamente sobre as produções realizadas no grupo. Será, ao longo do processo, estimulado a resgatar sua memória e presença corporal, utilizando-a como material para a produção e fruição dos textos.
Local: Teatro.
Não recomendado para menores de 12.
Grátis
19 a 20/04. Terça e quarta, às 17h

encontro

O OVO E O VOO – arquitetura, arte, cidade

Encontro ilustrado de Guilherme Wisnik com participação de José Miguel Wisnik e Marina Wisnik. A crítica moderna apontou uma forte tendência ao informalismo, à dissolvência, ao útero, ao ninho e ao ovo, na arte brasileira, que deveria ser rompida criticamente por uma concepção construtiva da forma. Ao fazê-lo, no entanto, adotando o concretismo e o neoconcretismo, Hélio Oiticica e Lygia Clark “regridem” à esfera da afetividade interpessoal, na passagem dos anos 1960 aos 1970, como se, ao quebrar a casca, voltassem paradoxalmente ao ovo, e do público ao íntimo e ao privado. No mesmo período os arquitetos de São Paulo pós-Brasília, como Vilanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha, querem transformar o espaço doméstico em cidade, projetando casas de concreto onde o chão da sala é feito de asfalto. Na inconsistência crônica da esfera pública, no Brasil, o trânsito entre o público e o privado, numa espécie de fita de Moebius permanente, faz com que essas figuras revolucionárias de artistas e arquitetos tratem sintomaticamente as mesmas questões por caminhos opostos. A novidade é que os tempos atuais estão trazendo a consciência pública para o embate nos espaços da cidade: jornadas de junho, Parque Minhocão, Parque Augusta, Praça Roosevelt, Largo da Batata, Ocupe Estelita (Recife). As cidades rebeldes estão na ordem do dia.

Local: Teatro.
Não recomendado para menores de 12.
Grátis
19/04. Terça, às 20h

O OVO E O VOO – literatura e canção

Encontro ilustrado de José Miguel Wisnik, com participação de Marina Wisnik e Guilherme Wisnik. José Miguel comenta as relações da temática tratada por Guilherme, abordando textos de Clarice Lispector sobre Brasília, de João Cabral sobre arquitetura, de Ferreira Gullar sobre Oscar Niemeyer, bem como relações entre Niemeyer e Tom Jobim, Brasília e tropicália.
Local: Teatro.
Não recomendado para menores de 12.
Grátis
20/04. Quarta, às 20h

95 ANOS DE RIACHÃO

Completando 95 anos em 2016, Riachão, que começou a se apresentar na década de 30, teve suas canções gravadas por artistas como Jackson do Pandeiro, Jamelão, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Dona Ivone Lara, Beth Carvalho, Cássia Eller, Zélia Duncan e muitos outros artistas brasileiros consagrados. Nesse show a nata do samba paulista se reúne para homenagear o mestre baiano Riachão. O grupo foi idealizado por Paulinho Timor, percursionista, compositor e integrante de grupos como Inimigos do Batente, Gafieira São Paulo e Picafumo e conta com a presença de Paula Sanches, cantora que traz um repertório ímpar. Flora Poppovic e Mariana Furquim completam o trio de cantoras. Caê Rolfsen, Alan Abadia, Fabricio Alves e o Trio Gato com Fome, tomam conta das harmonias e sopros. Tem também uma forte batucada, que conta com Coca Pereira, Andre Piruka, Caca Sorriso, Miro Parma e Marcelo Homero.
Local: Teatro*
*O Teatro do Sesc Pompeia possui duas plateias (lados par e ímpar) e galerias superiores não numeradas. Por motivo de segurança, não é permitida a permanência nas galerias, de menores de 12 anos, mesmo acompanhados dos pais ou responsáveis.
Não recomendado para menores de 12.
R$ 30,00. R$ 15,00. R$ 9,00.
02/04. Sábado, às 21h
03/04. Domingo, às 19h

JERRY PAPER (EUA) + NUVEN (BRA)

O músico e produtor do Brooklin (EUA) passeia pelo Lo-Fi com Synth-Pop moderno, robótico e lisérgico, apresentando uma música um tanto excêntrica. Com um teclado polifônico com timbres de instrumentos reais e que também exerce o papel de bateria eletrônica, o jovem e prolixo Jerry Paper vem criando uma identidade ao redor de sua já extensa discografia com mais de sete discos.
Nuven é o projeto eletrônico iniciado por Gustavo Teixeira. Seus experimentos com guitarras, pedais de loop e sintetizadores levaram o músico a uma atmosfera etérea e minimalista, criando faixas elaboradas com camadas de samples, gravações caseiras e vinis antigos.
Seu EP de estréia, Choice of a Fiction, apresenta um lado multifacetado e inovador da mente de Gustavo. Com sintetizadores analógicos e digitais, além de diversos elementos do rock, rap e beats eletrônicos, seu trabalho é inspirado por produtores influentes como Four Tet, Machinedrum e Tycho.
Local: Comedoria
Venda limitada a seis ingressos por pessoa.
Comedoria*
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
R$ 40,00. R$ 20,00. R$ 12,00.
08/04. Sexta, às 21h30

JERRY PAPER (EUA) + P A R A T I

O músico e produtor do Brooklin (EUA), passeia pelo Lo-Fi com Synth-Pop moderno, robótico e lisérgico, apresentando uma música um tanto excêntrica. Com um teclado polifônico com timbres de instrumentos reais e que também exerce o papel de bateria eletrônica, o jovem e prolixo Jerry Paper vem criando uma identidade ao redor de sua já extensa discografia com mais de sete discos.
No palco apenas Lucas Nathan (Jerry Paper) e o artista visual Jason Harvey.
P A R A T I é o novo projeto de Rita Oliva e Zé Lanfranchi. Nesse trabalho o casal mantém a atmosfera das praias do Rio de Janeiro nos anos 60 e misturam referências de dream pop e música eletrônica. O álbum “Superfície” é o primeiro lançamento do duo e chama a atenção pela riqueza de texturas das composições. Batidas eletrônicas são sobrepostas por múltiplas melodias, criadas por camadas de vozes, guitarras e elementos etéreos.
Local: Comedoria
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
R$ 40,00. R$ 20,00. R$ 12,00.
09/04. Sábado, às 21h30

MIÚCHA – 40 ANOS DE MÚSICA

Comemorando 40 anos de carreira, a cantora Miúcha apresenta clássicos do seu repertório e compartilha histórias de sua carreira ao lado de Tom Jobim, Chico Buarque, Vinícius de Moraes, João Gilberto, entre outros, por meio de imagens e vídeos raros. O aniversário é marcado também pelo lançamento do site e relançamentos de seus discos (pela Warner e Sony BMG). No palco é acompanhado por Cristóvão Bastos (piano), Jamil Johanes (baixo) e Ricardo Costa (bateria). Direção musical de Cristóvão Bastos; direção cênica de Heron Coelho.
Local: Teatro*
*O Teatro do Sesc Pompeia possui duas plateias (lados par e ímpar) e galerias superiores não numeradas. Por motivo de segurança, não é permitida a permanência nas galerias, de menores de 12 anos, mesmo acompanhados dos pais ou responsáveis. Foto: Joaqui Nabuco.
Não recomendado para menores de 12.
R$ 40,00. R$ 20,00. R$ 12,00.
09/04. Sábado, às 21h
10/04. Domingo, às 19h

TITÃS – COM PARTICIPAÇÃO DE WALTER FRANCO

Dando prosseguimento à turnê de Nheengatu Ao Vivo, DVD lançado em 2015, os Titãs voltam agora ao palco para um encontro inédito com Walter Franco.
Nos anos de formação dos Titãs, no final da década de 1970, Walter Franco foi uma de suas influências, com suas composições ousadas e originais, que mesclam rock, MPB, música e poesia concreta. Depois de gravarem um dos clássicos de Franco em seu CD Nheengatu, Canalha, os Titãs recebem o compositor como convidado especial.
Local: Comedoria
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
R$ 50,00. R$ 25,00. R$ 15,00.
14/04. Quinta, às 21h30
15/04. Sexta, às 21h30
16/04. Sábado, às 21h30
17/04. Domingo, às 19h30

PASCUALA ILABACA & FAUNA (CHI)

Cantora e acordeonista de Valparaíso, no Chile, Pascuala Ilabaca, se destaca por sua voz doce e enérgica. Sua música passeia entre o folclore chileno, jazz, rock e a música indiana.
Pascuala vem acompanhada de sua banda, Fauna.
Local: Comedoria
*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa às 20h30.
Não recomendado para menores de 18.
R$ 30,00. R$ 15,00. R$ 9,00.
23/04. Sábado, às 21h30

intervenção

CORPORAÇÃO MUSICAL OPERÁRIA DA LAPA – 135 ANOS

Criada em 1881, pelo maestro Luigi Chiaffarelli, a banda comemora 135 anos existência e o centenário de sua sede própria. Considerada uma das mais antigas bandas musicais do país, a Corporação explora dobrados e valsas sob leitura própria. Maestro: Nestor Avelino; concepção, direção musical e produção: Livio Tragtenberg. Participação de Tuco Marcondes e Fabio Tagliaferri.  Local: Rua Central.
Livre
Grátis
21/04. Quinta, às 18h
01/05. Domingo, às 18h

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com