Programação Musical de agosto de 2016 no Sesc Pompéia

Espetáculo

Aeromoças e Tenistas Russas
Dia 5 de agosto, sexta-feira, às 21h

Aeromoças e Tenistas Russas apresentam “Positrônico”. O terceiro álbum da banda instrumental são-carlense é marco de seu amadurecimento, da apuração de sua sonoridade e da experimentação estética. As músicas trafegam pelo gênero space rock, com ritmos marcados e arranjos complexos, às vezes se aproximando de uma psicodelia progressiva clássica, outras nos remetendo a um experimentalismo contemporâneo pop.
Local: Teatro Não recomendado para menores de 12. R$ 20,00, R$ 10,00 e R$ 6,00.

Peri Pane – Canções Velhas Para Embrulhar Peixes Vol. 2
Dia 7 de agosto, domingo, às 19h
Depois de estrear o álbum “Canções Velhas Para Embrulhar Peixes”, lançado em 2012, Peri Pane apresenta Canções Velhas Para Embrulhar Peixes – Volume 2, pelo selo Traquitana. O novo trabalho do músico apresenta composições próprias e parcerias com o poeta arrudA. Como no primeiro álbum, as capas são numeradas e exclusivas, feitas uma a uma com papelão reutilizado pelo artista plástico Rafael Gentile, que usa a técnica do estêncil. O projeto foi contemplado pelo prêmio estadual Proac, na categoria de gravação de disco inédito de canção e circulação. Para essa apresentação, Peri Pane traz um clima intimista e teatral, contando ainda com intervenções poéticas de arrudA, que recitará poemas do livro A representação matemática das nuvens (Patuá). Os músicos Peri Pane (voz, violão e violoncelo), Marcelo Dworecki (violão de aço, cavaquinho e vocais) e Otávio Ortega (piano e acordeom) se revezam em vários instrumentos acústicos.
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12. R$ 20,00, R$ 10,00 e R$ 6,00

Projeto Plataforma

O projeto engloba o lançamento de shows musicais inéditos, CDs e DVDs.

Mahmundi
Dia 6 de agosto, sábado, às 21h

Marcela Vale, conhecida pelo nome artístico Mahmundi, flerta com a música eletrônica, indie, lo-fi e a poesia reflexiva brasileira, além de carregar fortes influências da música oitentista.
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12. R$ 20,00, R$10,00 e R$6,00.

 Prata da Casa

O projeto abre espaço para trabalhos de novos grupos e artistas.

E a terra nunca pareceu tão distante (SP)
Dia 9 de agosto, terça-feira, às 21h

Formada na capital paulista em 2013, a banda vem se destacando no cenário independente nacional. O EP Vazio (2014) surpreendeu a crítica especializada por arejar um estilo que completou duas décadas naquele ano, o “pós-rock” – termo adotado em 1994 pelo jornalista britânico Simon Reynolds para designar um novo tipo de música que, na contramão do rock clássico, deixa de lado os solos e rifes a favor dos timbres e texturas. Nesta apresentação o grupo apresenta o repertório baseado no compacto em vinil Medo de Morrer | Medo de Tentar lançado neste ano. Jazz, punk e rock alternativo dos anos 90 e 2000 também estão entre as influências dos músicos Lucas Theodoro (guitarra), Luden Viana (guitarra), Luccas Villela (baixo) e Rafael Jonke (bateria).
Local: Comedoria. Não recomendado para menores de 18. Grátis. Retirada de ingressos com uma hora de antecedência.

Marina Melo (SP)
Dia 16 de agosto, terça-feira, às 21h

Promessa da música, Marina Melo lançou seu primeiro disco, “Soft Apocalipse”, nesta semana. Produzido por Gabriel Serapicos e com letras inteligentes e bem-humoradas, o disco traz 13 músicas que abordam questões contemporâneas e temas íntimos.
Local: Comedoria. Não recomendado para menores de 18. Grátis. Retirada de ingressos com uma hora de antecedência.

Lê Almeida (RJ)
Dia 23 de agosto, terça-feira, às 21h

O guitarrista e produtor Lê Almeida sobe ao palco ao lado de sua banda para tocar as canções do recém-lançado álbum experimental Mantra Happening. Joab Régis (bateria), Bigú Medine (baixo) e João Casaes (guitarra) acompanham o músico.
Local: Comedoria. Não recomendado para menores de 18. Grátis. Retirada de ingressos com uma hora de antecedência.

Kalouv (PE)
Dia 30 de agosto, terça-feira, às 21h

Explorando gêneros que vão do post-rock ao rock progressivo, passando pelo shoegaze, banda instrumental pernambucana Kalouv é formada por Basílio Queiroz no contrabaixo, Bruno Saraiva no teclado, Rennar Pires na bateria, Saulo Mesquita e Túlio Albuquerque na guitarra e violão. Em quase quatro anos de existência se apresentou em festivais como o Play the Movie, Rock Cordel, Grito Rock e Mundo PB. Seu trabalho de estreia, Sky Swimmer, teve boa recepção na crítica especializada nacional, aparecendo em algumas listas dos melhores álbuns de 2011 e com resenhas positivas em sites brasileiros. O álbum também repercutiu fora do país, sendo reconhecido como Record Of The Week na rádio americana Fade to Yellow e resenhado pela revista inglesa Rock’a’rolla.
Local: Comedoria. Não recomendado para menores de 18. Grátis. Retirada de ingressos com uma hora de antecedência.

Jazz na Fábrica

Panorama da diversidade de estilos, formações e sonoridades do jazz.

Wallace Roney (EUA)
Dia 11 de agosto, quinta-feira, às 21h30
Dia 12 de agosto, sexta-feira, às 21h30
Dia 13 de agosto, sábado, às 21h30
Nascido na Filadélfia em 1960, Wallace Roney é um trompetista de jazz americano, associado aos estilos de hard bop e pós-bop. Foi o único pupilo trompetista que Miles Davis teve, estudando com o mestre de 1985 até seu falecimento, em 1991. Teve aulas também com Clark Terry e Dizzy Gillespie. Neste show, apresenta-se em formato de quinteto com Lenny White (bateria), Rashaan Carter (contrabaixo), Victor Gould (piano) e Benjamin Solomon (saxofone).
Local: Comedoria. Não recomendado para menores de 18. R$60,00, R$30,00 e R$18,00.

Jakob Bro e Daniel Jobim (DIN/BRA) + Phronesis (GBR)
Dia 12 de agosto, sexta-feira, às 21h

O guitarrista dinamarquês Jakob Bro se une ao pianista e compositor Daniel Jobim para fazer uma homenagem à obra de Antônio Carlos Jobim.
O trio Phronesis foi formado em 2005 por Jasper Høiby (contrabaixo), Ivo Neame (piano), Anton Eger (bateria). Suas apresentações ao vivo têm sido reconhecidas pela capacidade de excitar, inspirar e mover o público presente.
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12. R$40,00, R$20,00 e R$12,00.

Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz (BRA)
Dia 13 de agosto, sábado, às 21h
Dia 14 de agosto, domingo, às 19h

A Orkestra Rumpilezz se constitui como uma big band instrumental de percussão e sopros que exercita suas raízes rítmicas afro-baianas através da harmonia do jazz. Criada em 2006 pelo instrumentista Letieres Leite, o grupo traz em suas composições as referências históricas e musicais das grandes agremiações percussivas como Ilê Aiyê e Olodum, além da forte influência dos sambas de roda do Recôncavo e o culto sagrado afro-baiano do Candomblé.
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12. R$40,00, R$20,00 e R$12,00.

Lonesome Duo + Tigres Tristes
Dia 14 de agosto, domingo, às 17h

Rennan Martens e Luiz Masi se juntaram em 2009 para escrever canções despretensiosamente. Influenciados pela cena blues norte-americana e por performances de rua, a dupla solitária bebe de fontes tradicionais do folk, música cigana, gospel, voodoo e todo o imaginário do submundo boêmio. Mergulham no universo dos contadores de história, viajantes nômades, médiuns e charlatões, criando ambientações dignas desse panorama. Seu repertório é composto por canções autorais, clássicos do blues e pérolas do cancioneiro popular norte-americano. Gravaram em 2009 o EP Homespun Ballads, e lançam o registro de seu novo trabalho no primeiro semestre de 2015.
Tigres Tristes é um projeto de Jazz Manouche, também conhecido como Gypsy Jazz ou jazz cigano, idealizado por Flávio Nunes e Bruno Panichi, no qual celebram a existência deste estilo peculiar que sacudiu a boemia de Paris na década de 1930.
Local: Deck. Livre. Grátis.

Ester Rada (ISR/ETI)
Dia 18 de agosto, quinta-feira, às 21h

Os críticos descrevem o seu som como “uma combinação graciosa de Ethio-Jazz, Urban-funk, Neo-Soul e R&B”, com fortes influências de grandes nomes do século 20 como Nina Simone, Ella Fitzgerald e Aretha Franklin, bem como um grande apreço pelas divas negras mais contemporâneas como Eryka Badu, Lauryn Hill e Jill Scott. Rada nasceu de pais israelenses da Etiópia. Ela está atualmente trabalhando em seu álbum de estreia, depois de lançar seu aclamado primeiro EP solo “Life Happens”, no início de 2013.
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12. R$60,00, R$30,00 e R$18,00.

Donny Mccaslin Quartet (EUA)
Dia 18 de agosto, quinta-feira, às 21h
Dia 19 de agosto, sexta-feira, às 21h

O quarteto, que tem seus alicerces no groove, gravou com David Bowie em seu último disco, “Blackstar”. Composto por Donny McCaslin (sax tenor); Jason Lindner (teclados e piano); Tim Lefebvre (contrabaixo); Mark Guiliana (bateria).
Local: Comedoria. Não recomendado para menores de 18. R$50,00, R$25,00 e R$15,00.

Matthew Shipp (EUA)
Dia 19 de agosto, sexta-feira, às 21h

Com seu estilo único e reconhecível, o pianista Matthew Shipp trabalhou e gravou com vigor a partir de final dos anos 80, com seu estilo entre o jazz clássico moderno e o free jazz. Ele se tornou conhecido no início dos anos 90 como o pianista no The David S. Ware Quartet e logo começou a liderar suas próprias bandas. Gravou uma série de duetos com uma variedade de músicos, desde o lendário Roscoe Mitchell ao violinista Mat Maneri.
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12. R$50,00, R$25,00 e R$15,00.

Michael Blake (CAN)
Dia 20 de agosto, sábado, às 21h
Dia 21 de agosto, domingo, às 19h

Por mais de três décadas, o saxofonista e compositor Michael Blake conseguiu atordoar os críticos e público. Suas performances ao vivo são consistentemente emocionantes e desenfreadas e suas gravações conseguem se aproveitar dessa energia para álbuns que ressoam com personalidade. Conhecido por seu tom robusto no tenor e seu som puro no soprano, Michael é frequentemente elogiado pela crítica como um dos saxofonistas mais originais de sua geração. Nascido em Montreal, Canadá e cresceu em Vancouver, Blake fez Nova York sua casa por mais de 25 anos. Como compositor, sua produção criativa está constantemente em fluxo, mudando na abordagem e empatia em cada novo projeto.
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12. R$50,00, R$25,00 e R$15,00.

Robert Glasper (EUA) + Tássia Reis e Mental Abstrato (BRA)
Dia 20 de agosto, sábado, às 21h30
Dia 21 de agosto, domingo, às 19h30

Vindo de Houston, Texas, Robert Glasper é um pianista de jazz com um talento especial para composições aveludadas, harmonicamente complexas e que revelam também uma influência sutil de hip-hop. Seu álbum de 2012, “Black Radio”, ganhou o Grammy Award de Melhor Álbum na categoria R&B.
Tássia Reis estrutura seu trabalho com fortes influências do R&B, Jazz e MPB. Iniciou a carreira como backing vocal da cantora Clawdia Ejara e fez participações ao lado de Marcelo D2, Rashid e AXL. Em 2013 deu início à carreira solo, lançando o videoclipe “Meu Rapjazz”, com ótima repercussão e aceitação da crítica. Na mesma época, foi convidada pelo fotógrafo Rafael Kent a participar do projeto Studio62, um registro intimista de uma de suas composições, “Bêbada de Feriado”, e recentemente esteve com os Racionais MC’s, abrindo a turnê de 25 anos do grupo. Tássia vem acompanhada pela Banda Mental Abstrato, renomada no cenário JazzRap nacional e internacional.
Local: Comedoria. Não recomendado para menores de 18. R$60,00, R$30,00 e R$18,00.

Kubata + WiS
Dia 21 de agosto, domingo, às 17h

Banda instrumental formada em Santo André em 2012, a Kubata é um septeto que utiliza o ritmo afrobeat como base para experimentos com psicodelia, minimalismo e noise. Em junho de 2016 lançou seu primeiro álbum, Zep Tepi.
A What is Soul, ou simplesmente WiS, é uma banda instrumental que nasceu da união de músicos com diferentes formações e influências musicais que têm um ponto em comum: a paixão pelo soul funk instrumental dos anos 1960 e 1970.
Local: Deck. Livre. Grátis.

Omer Avital (ISR)
Dia 25 de agosto, quinta-feira, às 21h

Omer Avital nasceu em 1971 em Israel e desde os onze anos de idade estuda música. Em 1992, aos 21 anos, se mudou para Nova York, onde iniciou prolífica carreira musical no universo do jazz tocando com nomes como Roy Haynes, Jimmy Cobb, Nat Adderley, Walter Bishop, Jr., Al Foster, Kenny Garrett, Steve Grossman, Jimmy Lovelace e Rashied Ali. Gravou seu primeiro álbum em 2001 e desde então conta com 10 discos como band leader e mais de 30 discos como sideman. Neste show, apresenta repertório de seu mais recente disco, “Abutbul Music”. A banda é formada por Omer Avital (contrabaixo), Avishai Cohen (trompete), Joel Frahm (sax tenor), Yonathan Avishai  (piano) e Daniel Freedman (bateria).
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12. R$50,00, R$25,00 e R$15,00.

Pájaro De Fuego (ARG)
Dia 25  de agosto, quinta-feira, às 21h30

O grupo Pájaro de Fuego trabalha a mistura do jazz com a linguagem da música eletrônica. Seu mais recente álbum é uma síntese entre o mais vanguardista do novo jazz, o rock instrumental dos anos 70 e o dance mais orgânico. Formada por Esteban Sehinkman (synth e rhodes), Matías Méndez (baixo), Daniel “Pipi” Piazzolla (bateria), Nicolás Sorín (voz e synth) e Sebastian Lans (guitarra).
Local: Comedoria. Não recomendado para menores de 18. R$40,00, R$20,00 e R$12,00

Lina Nyberg (SUE)
Dia 26 de agosto, sexta-feira, às 21h

A cantora sueca Lina Nyberg é considerada atualmente um dos grandes nomes do jazz europeu, com uma carreira de mais de 20 anos. O primeiro álbum da trilogia, “SIRENADES” (2014), foi considerado o Melhor Disco de Jazz de 2014 na Suécia.
Com: Lina Nyberg (voz), David Stackenäs (guitarra), Josef Kallerdahl (contrabaixo), Peter Danemo (bateria).
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12. R$ 50,00, R$25,00 e R$15,00.

Cheick Tidiane Seck (MALI)
Dia 26 de agosto, sexta-feira, às 21h30
Dia 27 de agosto, sábado, às 21h30

O pianista, compositor e arranjador Cheick Tidiane é um dos artistas mais importantes do cenário musical da África contemporânea. Seus arranjos são conhecidos através de parcerias com Oumou Sangaré, Salif Keita, Santana, Ponte Didi Água e Babani Koné, entre outros. Atualmente, ele está vivendo em Paris.
Local: Comedoria. Não recomendado para menores de 18. R$60,00, R$30,00 e R$18,00.

Nik Bärtsch’s Ronin (CAN)
Dia 27 de agosto, sábado, às 21h
Dia 28 de agosto, domingo, às 19h

Por mais de três décadas, o saxofonista e compositor Michael Blake conseguiu atordoar os críticos e público. Suas performances ao vivo são consistentemente emocionantes e desenfreadas e suas gravações conseguem se aproveitar dessa energia para álbuns que ressoam com personalidade. Conhecido por seu tom robusto no tenor e seu som puro no soprano, Michael é frequentemente elogiado pela crítica como um dos saxofonistas mais originais de sua geração. Nascido em Montreal, Canadá e cresceu em Vancouver, Blake fez Nova York sua casa por mais de 25 anos. Como compositor, sua produção criativa está constantemente em fluxo, mudando na abordagem e empatia em cada novo projeto.
Local: Teatro. Não recomendado para menores de 12 anos. R$60,00, R$30,00 e R$18,00.

Cadillacs Jazz Band e Zarabanda Jazz

Dia 28 de agosto, domingo, às 17h
Formada em 2014, a Cadillacs Jazz Band tem a ideia fixa de transformar clássicos do rock n’ roll em jazz. Contam com um repertório de mais de 60 músicas que vão de Stones a Artic Monkeys, passando pelo Punk, Metal, Classic Rock, 90s’ etc. Com: Junior Queiroz (bateria), Bernardo Boechat (baixo e voz), Daniel Boechat (guitarra e voz), Magdiel Vieira (sax, flauta e clarinete).
Fundada em julho de 2011, Zarabanda Jazz se dedica à boa música como uma inigualável terapia. Com um repertório sem preconceitos ou rótulos, formado por músicos instrumentistas, nas mais diversas experiências musicais, que se encontram para navegar por temas que vão do jazz tradicional ao samba, passando pelo funk, blues, bolero e até a salsa. Formada por Cláudio Bernardes (contra baixo), Dalton Carvalho (saxofones), Eugênio Sigaud (bateria), Luiz Frederico Rangel (guitarra), Arturo Roldan (Trompete), Fernando Cardoso (trombone) Mario Fontes (percussão) e Mario Nogueira (piano).
Local: Deck. Livre. Grátis.

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com