O garage rock do FingerFingerrr chega ao 1º álbum

finger_fingerrr-e1469115311487

A dupla de rock paulistana formada por Flavio Juliano (baixo, guitarra e voz) e Ricardo Cifas (bateria, teclado e voz) lança seu primeiro disco, “MAR”, nesta sexta, 22 de julho, nas principais plataformas digitais. O álbum sai pelo selo Rosa Flamingo, da cantora Tiê. Produzido por Fernando Sanches (Marcelo Camelo, Mallu Magalhães e Hurtmold) ao lado do duo, mixado por Mario Caldato Jr (Beastie Boys, Nação Zumbi e Planet Hemp) e masterizado por Robert Carranza, vencedor de quatro Grammy’s, o álbum traz dez faixas autorais em inglês, língua mãe de Flavio, e em português.

Gravado no estúdio El Rocha, em São Paulo, “MAR” é um disco que carrega além de equipe técnica estrelada, assinatura pulsante. O FingerFingerrr estreia com um álbum em que o rock embute riffs e personalidade musical em atmosferas punk, pop, hardcore, electro e psicodélicas ao lado de letras autobiográficas fortes.

A faixa “Eu Só Ganho” e seu mantra punk hardcore “eu só ganho, eu não tenho” abre o disco com uma desconstrução da relação capitalista de posse e a forma de lidar com isso, com desapego ou ira. A faixa será lançada como single em clipe dirigido pelo ex-hacker e diretor de audiovisual e roteirista John Threat. No vídeo, o norte-americano, que já figurou na capa da revista Wired, fechou a Bedford Avenue, a rua mais movimentada de Williamsburg, Brooklin, em Nova Iorque, para registrar cenas em que Flavio e Cifas correm seminus.

O punk psicodélico “Hypnotize”, segunda faixa do disco, adentra terreno familiar e intenso para Flavio. O músico que viveu doze anos nos Estados Unidos, onde foi alfabetizado, discorre em sua língua mãe sobre um assunto sagrado e delicado para ele: A batalha que sempre travamos com nós mesmos, com nossa própria mente. “É nossa relação mais importante e temos que cuidar dela diariamente”, explica. Em inglês irrepreensível, fala da relação entre uma especialista em hipnose gata, que também é vocalista de uma banda, e seu paciente.

Luta punk pop

Flavio assina ainda mais três outras letras em inglês. O relacionamento amoroso é o tema de “Make You See”, rock que flerta com o pop para contar uma história em que há sabotagem, pouca confiança e a incompreensão de como alguém pode gostar tanto de quem só decepciona. A música marca a sede da dupla em ampliar seu espectro sonoro com a incorporação de um synth compacto, tocado por Cifas. No palco, o músico comanda um dos grande momentos do show do FingerFingerrr durante a execução desta faixa, em que ele toca bateria, synth e canta ao mesmo tempo.

Já em “Pyrrhic V”, título inspirado e adaptado de uma passagem de um livro de poesia, Flavio canta vitórias pírricas, em que exércitos inteiros batalham entre si tão enfaticamente que ambos os lados sofrem prejuízos irreparáveis. Uma luta punk pop em que mesmo que um lado vença tecnicamente, ninguém na verdade sai vitorioso. A ideia de que, na guerra, somos mais semelhantes do que díspares encantou o compositor, que estabelece aqui um paralelo com os relacionamentos pessoais. Última música de “MAR”, o electro rock pop “Come Back Home” aborda uma relação entre irmãos, em que o mais velho cresce, sai de casa e deixa para o irmão que ficou um saudosismo a medida em que o relacionamento se deteriora com o tempo e a distância.

Mais psicodelia

Além da faixa inaugural, a dupla apresenta mais quatro músicas em português. Criada em estúdio no processo de gravação do disco, “Embora Agora” retoma a psicodelia marcando o fim do lado A com a participação do compositor André Whoong no baixo. Mais hardcore que relacionamentos emendados um no outro, que acabam repetindo os mesmos erros de sempre, é a punk “Quem Te Convidou?”. E desta vez, a musa é tão violenta e ruim quanto sexy, viciante e quente. O trecho em francês, também presente na faixa “Find A Way” do EP, é uma herança de um relacionamento antigo de Flavio com uma francesa.

Em meio a samples de nomes admirados pela dupla, como Rage Against The Machine, Radiohead, Beatles e Wu Tang Clan, “X” tem participação da cantora Luiza Lian, que assina a letra com Flavio. A parceria originou versos que catapultam às estrelas a vocação sexy da faixa. “Pra cada palma, penso se vai chegar, mas nunca volta, nem consegue gozar. Vai lá, vai lá, vem cá, se chega tarde é melhor. Conte uma história que eu sei, mas fode logo”.

Música mais curta e momento mais íntimo do disco, “Encontrei um Jeito” é uma continuação/ resposta à letra de “Find A Way”, do primeiro EP do FingerFingerrr. Se no passado o baixista, guitarrista e vocalista da dupla procura reparar o relacionamento e reconquistar a ex-namorada, agora o jeito é compreender que a relação acabou para sempre e é preciso deixá-la para trás, encerrando um ciclo.

Única composição instrumental do disco, “Kanye” faz alusão aos efeitos vocais recorrentes na obra do rapper Kanye West e deixa a dúvida da existência de uma letra sob as camadas sonoras. “Se ela tem ou não letra a gente talvez nunca vá revelar”, tripudia Flavio.

Antes da Nasa descobrir rastros de rios de água salgada que escorrem pelas colinas do planeta Marte, o FingerFingerrr resolveu batizar seu disco de estreia de “MAR”. A homenagem – explícita no disco físico, que traz na capa, assinada pela artista visual Daniela Ometto, o título “MAR” e o complemento “TE” impresso no CD – reitera o fato dos rapazes produzirem música brasileira que navega em águas de outro planeta.

Faixa a faixa, pelo duo

1- EU SÓ GANHO
Cifas: É o nosso mantra punk que surgiu com o Flavio testando o baixo enquanto eu tomava um café. Quando ouvi os riffs corri para o estúdio e saímos tocando a música.

2- HYPNOTIZE
Flavio: O Cifas chegou com a ideia original da música, desde sua batida ao riff principal. Queríamos que o disco tivesse momentos muito rápidos e ela se encaixou perfeitamente com sua acidez, peso e velocidade.

3- MAKE YOU SEE
Flavio: Nessa faixa exploramos instrumentos e timbres novos. Optamos por testar outras instrumentações para não soar baixo e bateria no disco todo. Outro dia ouvimos as demos dos ensaios e lá estava ela tocada pela primeira vez quase igual ao formato que está no disco.

4- PYRRHIC V
Cifas: A gente queria uma música mais pesada para as apresentações do FingerFingerrr ao vivo e o Flavio fez essa na guitarra. Decidimos substituir a guitarra pelo baixo e ficou com o peso que a gente queria, com a nossa cara.

5- EMBORA AGORA
Flavio: Quando começamos a pré-produzir o disco, o Cifas deu a ideia de criar e gravar uma música na hora, então improvisamos “Embora Agora” no estúdio e chamamos o André Whoong para participar tocando baixo.

6- QUEM TE CONVIDOU?
Cifas: É a música mais antiga do disco. Originalmente executada na guitarra, com uma melodia muito mais simples, foi evoluindo e enriquecendo até chegar na versão do disco.

7- KANYE
Cifas: Nasceu numa jam enquanto ensaiávamos. O Flavio sempre teve como referência o Kanye West, então aproveitamos nossa fase de exploração de pedais e sons outras formas de manipular a voz para criar algo como Kanye vs. Black Sabbath.

8- X
Flavio: A gravação foi baseada numa demo que compus e programei. Assistimos a um show da Luiza Lian e ficamos encantados com sua voz e estilo. Além dela, convidamos também o Dr. Herman para encorpar os timbres com seu moog.

9- ENCONTREI UM JEITO
Flavio: É a faixa mais curta e o momento mais íntimo do disco. A letra é uma continuação e resposta a “Find A Way”, faixa do nosso EP de 2012.

10- COME BACK HOME
Cifas: Queríamos algo minimalista e sensível, a partir de uma experimentação que expandisse o som da banda. No show, utilizamos diversos equipamentos – além dos dois cantarem, eu toco piano e bateria e o Flavio opera um mini synth e um drum machine e toca baixo. Ela fecha o disco de forma inusitada e mostra que nós podemos ir para diversos lados e estilos musicais com nossa assinatura.

 

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com