Liniker e os Caramelows levam música preta brasileira e representatividade aos palcos do Bourbon Street e do Sesc Belenzinho

Cru por ser ao vivo, íntimo e transparente. Este é o EP de estreia de Liniker e os Caramelows, projeto nascido em Araraquara, no interior de São Paulo. Lançado em outubro de 2015 pelo selo independente Vulkania, o trabalho de três faixas foi colocado no YouTube e, em pouco mais de dez dias (e uma divulgação totalmente orgânica), a canção “Zero” somou mais 1 milhão de visualizações. Nos dias 21 e 29 de abril, o grupo sobe ao palco do Bourbon Street e do Sesc Belenzinho, respectivamente.

ea3bc7a8-388a-4135-9a0c-6ec24d19abe7Sem dúvida, o visual dx cantore Liniker Barros, de 20 anos, que também assina as composições, chamou a atenção – com turbante, batom roxo e brincos grandes. Mas tal aspecto não se sustentaria se não houvesse unidade e solidez na concepção do disco, mergulhado em referências da black e da soul music, transcendendo para uma música preta brasileira.

Apesar da ascenção meteórica, Liniker compunha desde os seus 16 anos. Escrevia, na verdade, cartas que não tinha coragem de entregar. Na vontade de que todos sentissem aquelas letras de forma pulsante, as transformou em canções – num processo criativo e colaborativo – com músicos araraquarenses, que viriam a ser Os CaramelowsMárcio Bortoloti (trompete), Péricles Zuanon (bateria), Rafael Barone (baixo), William Zaharanszki (guitarra) e as backing vocals bafônicas Barbara Rosa  e Renata Éssis.

Em dezembro de 2015, o grupo subiu ao palco pela primeira vez e potencializou o que estava no EP, que lista ainda “Caeu” e “Louise du Brésil”. Liniker e os Caramelows estão com uma agenda intensa. Já passaram por Porto Alegre, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, entre outros lugares. Nas apresentações, mostram as músicas de Cru e também antecipam faixas que estarão no primeiro disco da carreira, que tem lançamento previsto para o segundo semestre de 2016. Intitulado Remonta, o trabalho listará a faixa-título, “Lina X” e “Sem Nome, mas com Endereço”.

Liniker: cantor ou cantora? Cantore!
Apesar de o seu nome ter sido escolhido em homenagem ao jogador de futebol inglês Gary Lineker, Liniker Barros passou longe do esporte e se encontrou nas artes. Nascidx em uma família de músicos, cresceu ouvindo os tios tocar samba em casa, enquanto a sua mãe dançava samba rock. Elx estudou teatro na Escola Livre de Teatro de Santo André até se reunir no projeto musical Liniker e os Caramelows. Clube do Balanço, Amy Winehouse, Etta James e Itamar Assumpção foram algumas das influências do grupo na hora de conceber o EP Cru. Sem dúvida, a parte visual também chamou a atenção do público. “Tenho um corpo masculino e uso roupas e acessórios ditos femininos. Eu me visto dessa maneira no meu dia a dia, não apenas no palco, porque é como me sinto à vontade”, comenta Liniker. “A questão é: não é porque uso maquiagem, brinco ou algo do tipo que preciso ser chamadx de homem ou mulher. Meu corpo é livre, meu corpo é político. A liberdade não depende do que estamos usando. Estar no palco desta maneira numa sociedade ainda tão opressora é um ato político. Ali, eu me empodero e tenho a chance de afirmar que vai, sim, ter bicha preta de saia, batom e feliz”, pensa. Dessa maneira, nos shows, muitos fãs surgem para compartilhar com a banda como se sentem representados por cada um que está ali. Liniker tirou o artigo de sua vida. Não é cantor, não é cantora. É cantore!

Serviços:
Liniker e os Caramelows @ Bourbon Street
Data
: 21 de abril, 22h30 (quinta-feira)
Endereço: Rua dos Chanés, 127 – Moema
Ingressos: R$ 60,00
Classificação: 18 anos

Liniker @ Comedoria do Sesc Belenzinho
Data: 29 de abril, 21h30 (sexta-feira)
Endereço: Rua Padre Adelino, 1.000, Belenzinho
Ingressos: R$ 7,50 a R$ 25,00
Classificação: 18 anos

Ouça o EP Cru:
Spotify
Napster
Deezer
iTunes
AppleMusic
Tidal
GooglePlay

Liniker na web:
Facebook
YouTube
Twitter
Instagram

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com