Juliana Cortes transpassa fronteiras com elegância em novo álbum, Gris

df618626-5625-4236-bc18-4eff36c9ed83Juliana Cortes lança seu segundo álbum, Gris (2016). Disponível nas plataformas digitais, o novo disco entrega movimentos suaves, poesia e geografia na forma de uma sofisticada e autêntica música popular brasileira.

Em Gris, a mezzo-soprano curitibana explora os espaços do indivíduo nas metrópoles onde o disco foi gravado – Curitiba, São Paulo e Buenos Aires – e conecta fronteiras harmonizando no disco inspirações e traços de ritmos sulistas, nuances latinas e brasilidades. E Juliana o faz na medida sedutora de melancolia e elegância ímpar na primeira metade do álbum, e segue escalando com elementos pop e sonoridades regionais contemporâneas.

Foi inspirado na obra de Vitor Ramil que Juliana Cortes nos apresentou, em seu primeiro trabalho – Invento (2013) – um desdobramento da estética do frio do Sul do país. É nesta plástica invernal e autoria inédita do próprio compositor e escritor gaúcho que “Uma carta uma brasa através” abre o recém-lançado disco. Outro importante nome marca presença também em seus dois trabalhos é Paulo Leminski, agora com “À Você, Amigo”.

Já na segunda faixa, Juliana transpassa fronteiras nacionais com “Germinal”. De arranjos minimalistas, a canção traduzida e adaptada pela cantora é do uruguaio Dany López. Antônio Loureiro é o convidado desta canção e escreve arranjos, além de tocar vibrafone.

O intercâmbio no Sul do continente é evidenciado também com a releitura da cantora para a canção do conterrâneo Grupo Fato, que se faz um tango. “Bandida” conta com a participação do trio argentino Diego Schissi (piano), Juan Pablo Navarro (baixo), Santiago Segret (bandoneon) e é uma das faixas gravadas ao vivo.

Com participação de Paulinho Moska, “Mismo” é um dos pontos altos: cantada em espanhol, é mais um poema musicado do disco. A obra é de Estrela Leminski e melodia do mineiro Leo Minax. Mais um indício de que Gris chega a tocar o Sudeste do Brasil.

Essa elegante e impecável trajetória sulista é conduzida pelo produtor paulistano Dante Ozzetti, que também assina com Luiz Tatit a faixa que encerra o disco: “Outras Milongas”. A canção está entre as duas obras escritas especialmente para intérprete.

Outras participações são de Arrigo Barnabé, autor da segunda obra escrita para a cantora, a doce e poética “O Mal” . Entre as diferentes formações para cada música, as mais constantes são  Ronaldo Saggiorato e Du Moreira (baixo), Romildo Weingartner (violoncelo) e Vina Lacerda e Guilherme Kastrup (percussão). Aparecem também Rogério Leitum (flügelhorn), Sérgio Albach (clarinete) e Fábio Cardoso (piano).
Ouça Juliana Cortes

Spotify | Deezer | Google Play

Juliana Cortes na web

Facebook

Ficha Técnica
GRIS (2016)
Produzido e arranjado por Dante Ozzetti
Gravado em 2015 em Curitiba, São Paulo e Buenos Aires
Estúdios: Gramofone (por Valderval O.Filho), FLAPC4 (por Luis Lópes) e Sound Rec (por Ricardo Sanz)
Mixado em São Paulo por Ricardo Mosca
Masterizado em São Paulo por Maurício Gargel

 

  1. UMA CARTA UMA BRASA ATRAVÉS (Vitor Ramil/ Paulo Leminski)
    Juliana Cortes (voz)
    Dante Ozzetti (violão)
    Ronaldo Saggiorato e Du Moreira (baixo)
    Romildo Weingartner (violoncelo)
    Guilherme Kastrup (percussão)
  2. GERMINAL (Dany López/ Tradução e adaptação Juliana Cortes)
    Juliana Cortes (voz)
    Du Moreira (baixo)
    Romildo Weingartner (violoncelo)
    Vina Lacerda (percussão)
    Participações especiais:
    *Antônio Loureiro (vibrafone e arranjo)
  3. O MAL (Dante Ozzetti/ Arrigo Barnabé)
    Juliana Cortes (voz)
    Dante Ozzetti (violão)
    Ronaldo Saggiorato (baixo)
    Guilherme Kastrup (percussão)
    Participações especiais:
    * Arrigo Barnabé (voz)
  4. BANDIDA (Grace Torres/ Ulisses Galleto)
    Juliana Cortes (voz)
    Romildo Weingartner (violoncelo)
    *Participação especial:
    Diego Schissi (piano)
    Juan Pablo Navarro (baixo)
    Santiago Segret (bandoneon)
  5. MISMO (Leo Minax/ Estrela Leminski)
    Juliana Cortes (voz)
    Dante Ozzetti (violão)
    Romildo Weingartner (violoncelo)
    *Participação especial:
    Diego Schissi (piano)
    Juan Pablo Navarro (baixo)
    Santiago Segret (bandoneon)
    Paulinho Moska (voz)
  6. COSTURA PRA DENTRO (Carlos Careqa/ Simone Wicca)
    Juliana Cortes (voz)
    Dante Ozzetti (violão e máquina de costura)
    Ronaldo Saggiorato (baixo)
    Vina Lacerda (percussão)
  7. CIRCULAR 102 (Leo Minax/ Chico Amaral)
    Juliana Cortes (voz)
    Dante Ozzetti (violão)
    Ronaldo Saggiorato (baixo)
    Vina Lacerda (percussão)
    Romildo Weingartner (violoncelo)
    Guilherme Kastrup (percussão)
    Rogério Leitum (flügelhorn)
    Sérgio Albach (clarinete)
  8. À VOCÊ AMIGO (Paulo Leminski)
    Juliana Cortes (voz)
    Dante Ozzetti (violão)
    Du Moreira (baixo)
    Vina Lacerda (percussão)
    Guilherme Kastrup (percussão)
  9. BALANGANDÃS (Maurício Pereira)
    Juliana Cortes (voz)
    Dante Ozzetti (violão)
    Ronaldo Saggiorato (baixo)
    Guilherme Kastrup (percussão)
  10. OUTRAS MILONGAS (Dante Ozzetti/ Luiz Tatit)
    Juliana Cortes (voz)
    Dante Ozzetti (guitarra)
    Ronaldo Saggiorato (baixo)
    Fábio Cardoso (piano)
    Vina Lacerda (percussão)
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com