INKY lança “Parallax”, primeiro single do seu segundo disco

Música produzida por Guilherme Kastrup está no novo trabalho da banda, que chega no segundo semestre
Parallax significa alteração. Na astronomia, por exemplo, o termo corresponde à alteração da posição angular que ocorre entre dois pontos estacionários vistos por um observador em movimento. Já para a banda INKY, “Parallax” é o nome da sua nova música, que chegou ontem ao seu canal do YouTube (a partir desta sexta-feira, 1 de julho, a música poderá ser encontrada em todas as plataformas digitais).

A faixa estará no segundo disco da carreira do grupo e foi escolhida como primeiro single do trabalho justamente por evidenciar alterações em sua sonoridade. Ainda sem nome, o sucessor do elogiado álbum de estreia Primal Swag (2014) foi gravado no Red Bull Studios, em São Paulo, e teve produção assinada por Guilherme Kastrup (responsável pelo aclamado A Mulher do Fim do Mundo, de Elza Soares).

Linhas de baixo, guitarra e bateria são o fio condutor de “Parallax”. A tal mudança pode ser relacionada ao uso do sintetizador, que destacou o INKY na cena rock-eletrônica e ocupa agora o segundo plano, dando lugar a mais possibilidades sonoras e deixando o resultado mais dinâmico.

A música cresce aos poucos, mas é desenhada a traços rápidos: primeiro, o baixo; depois, o arpejo da guitarra; e o por fim, a marcação da bateria. No primeiro minuto da canção, só se ouvem os acordes, sob os quais pousa, leve, a voz de Luiza Pereira. Guilherme Silva, o baixista da INKY, aponta a musicalidade como uma das principais diferenças entre “Parallax” e as músicas de Primal Swag. “Antes, a sonoridade eletrônica era a primeira característica a ser notada na canção; tudo partia do sintetizador. Agora, ele é moldado a partir dos instrumentos”, explica.

single foi escrito a três mãos por Silva, Luiza e Marco Guasti, parceiro dos músicos em canções anteriores da banda. “A galera vai ouvir e pensar ‘conheço esses caras, mas não conheço’. São os mesmos elementos, mas é outra banda. Gosto de pensar que é evolução”, opina Guilherme Silva.

A produção de Kastrup foi executada no Red Bull Studios, em São Paulo, sob os trabalhos de engenharia de som de Rodrigo Funai. Além de Guilherme, no baixo, e Luiza, no vocal e nos sintetizadores da INKY, Stephan Feitsma toca guitarra e a bateria é de Luccas Villela. A foto de divulgação de “Parallax” foi feita por Jonas Tucci.

Ouça “Parallax” aqui

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com