Felipe Antunes e Enzo Banzo unem música e poesia em show

Amigos, integrantes de bandas contemporâneas, admiradores da música na mesma proporção que da poesia: são muitas as coisas que unem Felipe Antunes, da banda Vitrola Sintética, e Enzo Banzo, do Porcas Borboletas. Os dois – que já chegaram a morar juntos num apartamento em São Paulo que abrigou, também, Meno del Picchia, Tatá Aeroplano e outros nomes da música – agora se juntam para dividir o palco. No dia 22 de junho, Felipe e Banzo apresentam-se em conjunto, na Casa Gramo, num formato que irá percorrer outras casas e cidades durante este ano.

No show, Felipe apresenta canções de seu primeiro disco solo, “Lâmina”, lançado no ano passado com show dentro do projeto Prata da Casa, do Sesc Pompeia, e eleito o 60º melhor álbum de 2016 pelo Melhores da Música Brasileira. Canções como “Telepatizar” e “Vai por Mim” dividem espaço com intepretações intimistas para faixas do Vitrola Sintética, como “Inconsciente Inconsistente” e “Beijo de Rimbaud”. Destaque também para “Essa Moça”, parceria de Felipe com Banzo. O músico do Vitrola apresentou a letra ao amigo como um poema; Banzo viu ali uma letra e resolveu musicar a peça.

É justamente esse exercício, aliás, que orienta o primeiro disco solo do músico do Porcas Borboletas. No inédito “Canções Escondidas”, que será gravado nesse semestre, Enzo apresenta seu trabalho de “musicar” poemas de outros autores. No repertório, textos de Luís de Camões, Arnaldo Antunes, Paulo Leminski e outros, musicados por Enzo. O disco, com produção musical assinada por Saulo Duarte, tem patrocínio do Instituto Algar por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

Serviço
Local: Casa Gramo
Rua Bento de Abreu 223 – Vila Romana ( Esquina com a R. Aurelia 1414)
Data e horário do show: quinta-feira (22/06) – 21h (Abertura da casa: 20h)
Ingressos: R$ 20,00 (compra na hora e no local)
Não Possui Estacionamento
Aceita cartões
Classificação etária: Livre

Sobre Felipe Antunes

Felipe Antunes, 33, é músico, compositor e vocalista da banda Vitrola Sintética. Ao lado de Otávio Carvalho (baixo e programações) e Rodrigo Fuji (guitarra e piano), o grupo lançou em 2015 seu terceiro disco, “Sintético”, que levou o trio a ser indicado em 2 categorias gerais do Grammy Latino: Melhor Artista Revelação e Melhor Engenharia de Gravação. Em 2016, foi novamente indicado, dessa vez na categoria “Melhor Canção Alternativa”, como compositor do single “Deus”, lançado pelo compacto vinil “Vitrola Sintética – Sintético B”.

Duas canções de autoria de Felipe Antunes foram destaques em 2015. O prêmio Melhores da Música Brasileira elegeu “Sintético” o 34º melhor álbum de 2015 e a canção “Faz Um Tempo”, a 2ª melhor do ano; o programa “Ouve Essa”, apresentado pelo crítico Ricardo Alexandre na Rádio 89FM, escolheu a música “Duvido Não Depois” como a 2ª melhor canção nacional do ano passado.

Sobre Enzo Banzo

Compositor e escritor, Enzo Banzo é um artista que transita entre as linguagens da canção e da literatura. É conhecido como um dos vocalistas da banda mineira Porcas Borboletas, em que atua há mais de 15 anos, lançando três discos e fazendo shows em todo Brasil e exterior. Publicou o livro Poesia Colírica (Editora Letramento/2014).

Além de seu trabalho solo e com banda, Banzo produziu o disco de estreia da cantora Daniela Borela em 2011, foi músico e produtor musical no grupo Emcantar entre 1998 e 2009, e tem composições em parceria gravadas por Diego de Moraes e Felipe Antunes.

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com