Demerara lança seu novo single “Amanhã”

Crédito: Julia Fiorili

Folk é uma tendência, e hoje vemos vários artistas neste cenário, mas com uma referência tão brasileira é muito mais emocionante. “Demerara” é uma dessas duplas que emocionam e dão valor ao nosso patrimônio cultural.

Apesar das influencias internacionais, a dupla se orgulha de expressar sua paixão a velha guarda da música nacional e das novas bandas e artistas que estão na mesma luta por um espaço! Cada vez que se ouve a música dessa dupla, um novo detalhe te faz se apaixonar mais e mais. No EP lançado em 2015, as referências e a pluralidade afloram, convidando a uma experiência única e íntima.

Em momentos de clara expressão de ódio, um toque de amor e compaixão, é o remédio para a vida corrida que levamos. O single “Amanhã” é uma clara reflexão de como “o melhor está por vir” e que não importa o quão difícil foi seu dia, o amanhã sempre chegará, e pode lhe surpreender!

Veja a entrevista que fizemos com esse Duo maravilhoso:

> Conta como surgiu a idéia de um Duo?
O Demerara nasceu como dupla, ou duo, muito por termos duplas como nossas principais referências. Eu e o Felipe fomos naturalmente nos acostumando com essa ideia e cada vez mais crescendo como dupla e aprendendo a nos expressar nessa estética.

> Como é processo de composição? Existem funções divididas (letras e melodias)?
É muito variado. Nosso processo de composição não obedece a nenhuma divisão ou regra. Sempre estamos dando pitacos nas coisas do outro e contribuindo para os arranjos quando gravamos ou nas apresentações ao vivo. Às vezes acontece de sentarmos e escrevermos uma música juntos do início ao fim (como em “Pedaços de Canções”), mas geralmente trazemos alguma ideia de melodia ou letra já trabalhada antes individualmente.

> Como músicos que tocam em bares, as influências devem ser diversas! Quais suas maiores influências? Existem bandas e artistas da cena nacional que vocês usam de referência?
Nós ouvimos muita coisa! E praticamente tudo que ouvimos nos influencia de alguma forma. Mas para falar nas maiores influências, costumamos citar o que, para nós, é a “santíssima trindade” do Demerara: Simon & Garfunkel, Everly Brothers e Pena Branca & Xavantinho. É desse lugar que sai nosso som. Mas curtimos muita coisa atual, seja nacional ou internacional. “O Terno”, “Rodrigo Amarante”, “Fleet Foxes”, “Bon Iver”, essa galera tem  lançado coisas fascinantes. Ainda temos o prazer de termos muitos amigos lançando materiais incríveis como o Thiago Juliani, Chankas, Nevilton, Jonavo, Corcel, Quando Inhambú, e muitos outros. Acredito que, ao contrário do que muitos pensam, vivemos em um momento muito fértil, tem muita gente fazendo música boa!

> As vivências da amizade de vocês influência nas letras?
Certamente. Nossas canções são bastante pessoais, totalmente sensíveis à nossa vivência. Por sermos muito próximos, e há muito tempo, criamos uma sintonia que costuma ser sentida em nossas vozes por quem nos ouve. Quanto as letras, na maioria das vezes entendemos o que o outro quis expressar pela proximidade também. Isso é algo muito importante para o  Demerara.

> No primeiro EP, a diversidade de ritmos é bem evidente. Essa pluralidade vai continuar expressiva ou vocês já se sentem mais íntimos de alguma vertente?
É bem provável que nosso som continue plural sim, prezamos muito pela liberdade de poder experimentar ideias novas. No entanto, o amadurecimento faz com que cada vez mais saibamos nos expressar através de uma sonoridade que formamos através da experiência.

> Hoje, qual é próximo passo na carreira e como vocês se sentem nesse momento de maturação?
Acho que o próximo passo é seguir conquistando o nosso espaço, e levar nossas canções para mais pessoas sempre.

> Qual a origem do nome “Demerara”?
“Demerara” vem do açúcar. Costumávamos tomar café com demerara, e era sempre nesse momento que discutíamos sobre o projeto. Quisemos fazer alguma referência a esse ambiente, e assim veio o “Demerara”, muito também pela sonoridade da palavra.

> “Amanhã”, a nova single, mostra uma pegada country. Como é a reação do público a este estilo em um grande centro como São Paulo?
Essa característica não foi algo a que nos apegamos desde o início. Isso apareceu quase que naturalmente na canção, como em muito coisa que fazemos. São Paulo é totalmente plural, e parece acolher muito bem os mais variados estilos. Não é nada diferente com o country, folk ou sertanejo.

> “Uma letra de final de sábado” e uma melodia mais intimista são as referências da música. O quanto essa música significa pra vocês e qual foi o motivo dela ser a primeira a ser lançada do novo trabalho?
Essa música significa uma certa mudança no nosso som, causada muito pela presença da viola caipira. Acho que ela traz esperança e soa como o início de um novo trabalho, uma nova página. Foi por isso que a escolhemos para ser o primeiro lançamento. Apesar de tudo, ela traz uma mensagem positiva. Nada melhor do que finalizar um ano com uma mensagem positiva e um sentimento de esperança!

>Para finalizar, além desse lançamento o que o duo preparou? Podemos esperar um álbum em 2018?
Temos mais lançamentos já para janeiro de 2018. Quanto ao álbum, o repertório está quase todo pronto e já estamos em fase de pré-produção. Muitas novidades e muito trabalho do Demerara em 2018!

Ouça agora “Amanhã”:

YouTube:
https://youtu.be/7xjMkwa4D3c

   Deezer: 
http://www.deezer.com/album/53233792

  Google Play:
https://play.google.com/store/music/album?id=Bpws57itbcbtyj7tdfrujhgicyq

  iTunes:
http://itunes.apple.com/us/album/id1324231302

  Spotify:
http://open.spotify.com/album/5r5WkUG21v08jyHxlVUuBz

 

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com