De cantora para cantora: Branka homenageia Clara Nunes em show único no Teatro do Paiol

13148308_1409351875757191_929885926_o

 

Em 2 de abril desse ano, completou-se 33 anos de morte de Clara Nunes, e já faz muito tempo que artistas dos mais variados estilos e diferentes vertentes, lhe prestam suas devidas homenagens. De Mariene de Castro a Fabiana Cozza, de Valéria Oliveira a Carla Visi, passando por Alcione e, agora, Branka.

Com quatro CDs lançados, indicações ao Grammy e música em trilha-sonora de novela da TV Record, Branka tem bastante coisas em comum com Clara: ambas vieram do interior, tem relação forte com o Rio de Janeiro (Branka mora no Rio há seis anos) e se descobriram no samba, mesmo antes tendo cantado músicas de outros segmentos.

Morta muito cedo, apenas com quatro décadas de vida, Clara deixou um legado valioso para a cultura brasileira, o que percebemos em sua trajetória de vida (espiritualidade, o amor pelo povo) e profissional (quase vinte discos lançados, reconhecimento como uma das maiores cantoras brasileiras).

Tudo isso se reflete na formação musical de Branka, que considera a artista como parte fundamental de sua vida e trabalho: “cantar Clara é cantar minhas raízes”. Sabendo disso, nem dá pra estranhar um show de Branka homenageando Clara.

A apresentação está marcada para logo menos: 13 de setembro, no Teatro do Paiol, em Curitiba, às 20h. Na ocasião, o jornalista, radialista e produtor Adelzon Alves, personagem muito importante na vida de Clara, que foi casado com ela, e produziu alguns de seus trabalhos, será mestre de cerimônia do evento.

No palco, Branka é acompanhada por Carlinhos 7 Cordas (violão 7 cordas), Fernando Brandão (cavaco), Fernando Brandão (viola), Dinho Rosa (surdo) e Bruno Barreto e Daniel Karin (percussão e vocal).

 

 

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com