Coleta Seletiva – A Lixo Records quer dominar o mundo de dentro dos seus quartos!

capa

Foi ao ar Coleta Seletiva, segunda mixtape da Lixo Records, selo independente do Rio de Janeiro formado em 2015, em conjunto por Paulo Merlin e Delitinho Bonnie, que além ser um dos representantes mais jovens na música independente, é também um dos selos mais ativos no país, que só entre singles e discos, nos últimos 8 meses do ano, contabilizam 21 lançamentos e vão crescendo.

 
Uma das causas é a pluralidade estética que inclusive própria mixtape demonstra. São percorridos gêneros que vão desde a música experimental e eletrônica do Botas Batidas e do Pancho, a psicodelia do Pratagy e do Semente de Maçã, o folk do Theuzitz, o slowcore da Soos Tenido e do Santos, e também o rock alternativo do Felipe Neiva e do João Feijão. A importância maior é a força das produções e a possibilidade dar vazão as mesmas, independente das condições de produção.
 
Atualmente com o número grande de lançamentos e integrantes do selo, a Lixo Records passou a atuar de forma mais anárquica tanto sonicamente quanto em termos de produção geral, onde passa a atuar de forma independente, variando entre os estados de cada um dos artistas, e também transitando entre outras linguagens artísticas, como a da literatura e artes visuais. O exemplo notório a respeito disso, é a capa da Coleta Seletiva, concebida por Izabella Figueiredo, escritora que também lançou seu primeiro livro, Matadouro, pelo selo, e também prepara seu primeiro disco solo.
 
Para saber mais sobre o selo, acompanhar os lançamentos, ouvir os discos e ler os trabalhos:
 
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com