Cida Airam por Maytê Corrêa

A carioca de coração curitibano Maytê Corrêa está prestes a lançar seu DVD, que firma seu trabalho com o samba. Maytê canta, compõe e dá aulas e já tem o CD Deixa o Samba Ir.

Hoje ela apresenta uma colega de trabalho: Cida Airam, artista das bandas de cima, lá do Nordeste que também canta e compõe, além de fazer parte do grupo Vocal Brasileirão.

Antes do próximo show da Cida (19), a realizar-se na Casa Verde, confira o depoimento que Maytê fez para o Canal Musical sobre Cida Airam:

mayte01

Antes do próximo show da Cida (19), a realizar-se na Casa Verde, confira o depoimento que Maytê fez para o Canal Musical sobre Cida Airam:

Em 2007, eu estava fazendo um show no Beto Batata, quando meu grande amigo, o radialista e poeta Silvio de Tarso, me apresentou Cida Airam, que tinha chegado na cidade recentemente. Pouco tempo depois tive o prazer de ouvi-la cantar, e lembro que me impressionei com sua afinação e desenvoltura. Depois que vim morar no Rio, acabei não tendo oportunidade de ir a outro show dela. Passados os anos, ganhei seu CD, e fiquei impressionada com a qualidade dele como um todo. O disco representa bem o que Cida é, uma mistura de meiguice, sofisticação, simplicidade, brejeirice e força de guerreira.

Quando nos tornamos mães, passamos por profundas transformações; em nenhum momento na vida, chegamos tão fundo em nossa feminilidade, em nosso instinto animal de proteger a cria; a dor sobrenatural e deliciosa de parir. Ser mãe é aceitar que a maternidade é linda, porém, muito cansativa. Somos mães cantoras que passam a noite acordando a cada hora, e no outro dia temos que estar lindas e afinadas para o show. Cida, cantora e mãe, a cada nota cantada, transmite esse recado ancestral, de nossa feminilidade, falando das coisas do povo, cantando os ritmos de raiz da nossa música. Tudo isso com uma roupagem sofisticada, que em nenhum momento perde a simplicidade: marcha-rancho, coco, maracatu, carimbó, coisas nossas, belas, que falam a nossa língua e mexem com nossa essência, inebriados pela linda voz de Cida Airam, que pinta e borda pelos sons. Mulheres guerreiras tem faca na bota, dormem com um olho aberto e outro fechado, não se deixam levar pelos modismos, são lindas mesmo quando não tem as unhas pintadas, nem o cabelo escovado, e quando essas guerreiras ainda por cima são cantoras, ninguém segura. Obrigada, Cida!

cida01

 

 

 

2 Comentários

  1. cida airam

    Obrigada Maytê! Tamo juntas e menstruadas!

  2. Joice

    Opa, como vai?

    Gostei muito do seu artigo no seu conteúdo.

    Beijos!

    Cláudia Matos no Intelimax

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com