Pianista e compositor Antonio Adolfo completa 50 anos de carreira e lança CD

Cinco décadas de carreira é motivo suficiente para se comemorar. É isso que faz o pianista, compositor e arranjador Antonio Adolfo no seu CD Tema, com composições de várias etapas de sua história musical. Não foi fácil selecionar um repertório entre mais de duzentas composições, algumas já gravadas por nomes como Elis Regina, Emílio Santiago e Stevie Wonder. Adolfo também comemora o fato de ter sido, há quase quarenta anos, pioneiro na produção independente no Brasil ao romper com as grandes gravadoras e lançar seu histórico álbum Feito em Casa. Além disso, o brasileiríssimo jazz de Adolfo tem encontrado, no Exterior, um público muito atento e interessado, o que lhe tem rendido participações em importantes festivais.

Antonio Adolfo - Foto Rodrigo Lopes 2015 (2)O fonema ‘tema’ é usado por instrumentistas brasileiros para definir uma melodia da qual se partirá para um improviso musical. Usá-lo para dar nome ao disco, tem muito a ver com esse significado: Antonio convidou um time de músicos especiais para esse desafio que se entregou de forma entusiástica. “Há a riqueza dos sopros de Marcelo Martins e a interação perfeita na guitarra e violão de Leo Amuedo e Claudio Spiewak, respectivamente. Jorge Helder contribui com a afinação e levadas perfeitas no baixo enquanto a precisão de Rafael Barata na bateria e percussão são reforçadas pela percussão não menos genial de Armando Marҫal”, como diz o pianista.

Tema para Adolfo é ainda a revisão de um tempo. “Quando a gente se inicia na composição, prevalece a espontaneidade, mas com o tempo a maturidade musical nos ajuda a organizar as idéias. Criações anteriores se transformam em novas criações com mudanças em harmonia, ritmos e até mesmo melodias”.

Algumas das composições, que neste álbum são apresentadas de forma instrumental, já foram gravadas anteriormente com letras de Tibério Gaspar e Xico Chaves. Há uma predominância de estilos nordestinos como baião, toada e forró em faixas que têm títulos como São Paulo Express, Alegria For All e Trem da Serra. A cultura moura, que influenciou de alguma forma o Brasil, aparece em Phrygia Brasileira, estruturada sobre a escala frigia, bastante incomum, mas que é encontrada em alguns temas folclóricos do nosso Nordeste.

Antonio Adolfo Trio (com Bruno Aguiar (baixo) e Marcio Bahia (bateria))
30/08/15 – domingo – 19h – R$ 30 e R$ 15
Local ETAPA Valinhos (Av. Dr. Antônio Bento Ferraz, 95 – VALINHOS)

Carioca, Antonio Adolfo começou a estudar música na infância, e no início da década de 1960 passou a freqüentar os ambientes onde se tocava jazz e bossa nova. Em 1963 montou o Trio 3-D, para atuar no musical Pobre Menina Rica, de Carlos Lyra e Vinicius de Moraes, e ao mesmo tempo acompanhar Leny Andrade, no histórico Beco das Garrafas. Participou como compositor em importantes festivais e trilhas sonoras de novelas, obtendo muito sucesso com Sá Marina (1967) e BR-3 (70). No começo dos anos 1970 mudou-se para o Exterior.

De volta ao Brasil, em 1975, participa de gravações de discos de Chico Buarque, Caetano Veloso e Quarteto em Cy. Marca uma atitude pioneira que hoje é um padrão na música brasileira: a gravação e distribuição independente de discos. O LP Feito em Casa (1977) teve todas as etapas bancadas por ele e foi lançado pelo seu selo Artezanal, inclusive vendido nas lojas pelo próprio Adolfo. Em 1985, cria o Centro Musical Antonio Adolfo, onde desenvolve atividade pedagógica. Dentre outros discos seus estão Finas Misturas (2013), Carnaval piano blues (2005), Chiquinha com Jazz (1997/Prêmio Sharp) e Antonio Adolfo (1996/Prêmio Sharp);

 

 

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com