Airto Moreira

airto5Airto Moreira nasceu em 1941 na pequena cidade de Itaiópolis, na região sul do Brasil, mas foi criado em Curitiba. Mesmo antes de andar ele começava a dançar e a bater no chão cada vez que o rádio tocava uma música agitada. Isso preocupava sua mãe, mas sua avó reconheceu seu potencial e o incentivou. Quando tinha seis anos ele ganhou muitos concursos de música, cantando e tocando percussão. A cidade deu a ele um programa de rádio, todas as tardes de sábado. Aos treze anos ele se tornou músico profissional, tocando percussão, bateria e cantando em bandas de baile. Mudou-se para São Paulo aos dezesseis anos e começou a tocar regularmente como baterista, percussionista e cantor em casas noturnas e na televisão.

Em 1965, ele conheceu a cantora Flora Purim, no Rio de Janeiro. Flora se mudou para o Estados Unidos em 1967 e Airto a seguiu logo depois. Em Nova York Airto começou a tocar com músicos como Reggie Workman, JJ Johnson, Cedar Walton e o baixista Walter Booker. Foi através de Booker que Airto começou a tocar com os grandes nomes – Cannonball Adderley, Lee Morgan, Paul Desmond e Joe Zawinul, para citar alguns. Em 1970 Zawinul indicou Airto a Miles Davis, para uma sessão de gravação do álbum “Bitches Brew”. Davis, em seguida, convidou Airto a participar de seu grupo, que incluía ícones do jazz como Wayne Shorter, Dave Holland, Jack DeJohnette, Chick Corea e depois John McLaughlin e Keith Jarrett. Ele permaneceu com Miles durante dois anos, e aparece em trabalhos como “Live / Evil”, “Live at the Fillmore”, “On the Corner”, “The Isle of Wight”, “Bitches Brew” e lançamentos posteriores, incluindo “Fillmore Sessions“.

Após sua experiência com Miles Davis, Airto foi convidado para fazer parte do Weather Report original, com Wayne Shorter, Joe Zawinul, Miroslav Vitous e Alphonse Mouzon, com quem gravou o álbum “The Weather Report”. Logo depois, ele se juntou à primeira formação do Return to Forever, de Chick Corea, com Flora Purim, Joe Farrell e Stanley Clarke. Essa formação gravou os álbuns, “Return to Forever” e “Light as a Feather”.

Em 1974, Airto formou sua primeira banda nos Estados Unidos, “Fingers”, com Flora Purim. Desde então, têm tocado constantemente em todo o mundo, e gravando seus próprios discos através de grandes gravadoras da Europa e dos Estados Unidos. Airto continua sendo um dos percussionistas mais populares e requisitados. Sua coleção de instrumentos, junto com seu talento para tocar o som certo no momento certo, fez dele a primeira escolha de muitos produtores e bandleaders. Seus trabalhos com Quincy Jones, Herbie Hancock, George Duke e Paul Simon, Carlos Santana, Gil Evans, Gato Barbieri, Michael Brecker, The Crusaders, Chicago e muitos outros, incluindo também as contribuições para trilhas sonoras de filmes como “O Exorcista”, “O Último Tango em Paris”, “Rei dos Ciganos” e “Apocalypse Now”, são apenas um pequeno número das contribuições musicais de que Airto participou nas últimas três décadas.

O impacto da música de Airto foi tão grande que a revista Downbeat adicionou a categoria de percussão para as enquetes dos seus leitores, categoria que Airto ganhou mais de vinte vezes desde 1973. Nos últimos anos ele foi considerado o percussionista número um pela Jazz Time, Modern Drummer, Drum Magazine, Jazzizz Magazine, Jazz Central Station’s Global Jazz Poll na Internet, assim como em muitos países europeus, latino-americanos e em publicações asiáticas.

Airto é um precursor da World Music e da percussão como componente do “Planet Drum” percussion ensemble, organizado por Mickey Hart, baterista do “The Grateful Dead”, mais o mestre das congas Giovanni Hidalgo, o virtuoso tablista Zakir Hussain, Flora Purim, Babatunde Olatunji, Sikiru Adepoju e Vinayakram Vikku. O “Planet Drum” ganhou um Grammy de World Music em 1991. Airto também contribuiu para outro ganhador do Grammy, o grupo “Dizzy Gillespie’s United Nations Orchestra”, que recebeu o prêmio de Melhor Album de Jazz ao vivo.

O amor de Airto pela música e pelas pessoas de sua terra natal, o Brasil, o leva de volta todos os anos para visitar velhos amigos e familiares, bem como a pagar respeito aos guias espirituais. Airto pratica o Espiritismo desde a mais tenra idade e costumava ir às sessões com seu pai, José Rosa Moreira, que foi um curandeiro espiritual durante toda a vida. Seu interesse na espiritualidade ao longo da vida levou-o para gravar “The Other Side of This”, uma jornada pelo poder curativo da música e do mundo espiritual. Airto também compôs e executou a sua “Brazilian Spiritual Mass” para um especial de duas horas na televisão alemã, com a WDR Philharmonic Orchestra em Colônia, Alemanha. Essa rara performance foi reproduzida em vinil pela gravadora clássica “Harmonia Mundi”, e licenciado como um vídeo, WDR, transmitido para o mundo todo.

Airto tocou como artista convidado da Boston Pops Philharmonic Orchestra em um especial para a TV PBS, no “Unplugged” dos Smashing Pumpkins para a MTV, para o grupo de percussão japonês Kodo, e no mais recente CD do Depeche Mode, “Exciter”. Em 2001, quando gravou com o grupo Kodo, ele contribuiu com duas de suas composições: “Maracatu” e “Berimbau Jam”. A música “Maracatu” foi escolhida para ser uma das canções oficiais para a Copa de 2002 na Ásia, abrindo a cerimônia do evento no Japão.

Uma das gravações de Airto para o selo Melt2000, “Killer Bees”, teve a participação de Herbie Hancock, Stanley Clarke, Chick Corea, Mark Egan e Hiram Bullock; foi um dos álbuns mais aclamados pela crítica no mercado europeu. Seu álbum solo, intitulado “Homeless”, do Melt2000 foi lançado no ano de 2000. É um disco de muita energia, com ritmos tribais, que vem agitando as pistas de dança ao redor do mundo. Outros lançamentos por esse selo incluem o grupo “Fourth World”, com José Neto e Flora Purim.

Sua composição “Celebration Suite” foi re-mixado pelo grupo de DJs Bellini Brothers, intitulado “Samba de Janeiro”. A música alcançou o número 1 nas paradas de dance music em mais de 26 países da Europa, Ásia e América Latina.

Músicas de Airto vêm sendo re-mixadas por Frederic Galliano, Giles Peterson, Endemic Void, Justice, Ashley Beedle, Circadian Rhythms, Jimpster, Amon Tobin, e Breenen Max, entre outros.

Em setembro de 2002, o presidente Fernando Henrique Cardoso concedeu a Airto Moreira e a Flora Purim a “Ordem do Rio Branco”, uma das mais altas honrarias do Brasil. A ”Ordem de Rio Branco” foi criada em 1963 para reconhecer formalmente brasileiros e estrangeiros que tenham contribuído significativamente para a promoção das relações internacionais do Brasil. A ordem leva o nome do Barão do Rio Branco, Ministro das Relações Exteriores entre 1902-1912, famoso por seu papel na negociação das fronteiras nacionais do Brasil e conhecido como o “pai da diplomacia do Brasil”.

Durante três anos, Airto foi professor no Departamento de Etnomusicologia da UCLA, inovando em conceitos musicais e energia criativa.

Atualmente, Airto divide seu tempo entre estúdios de gravação, workshops e clínicas, criando novos projetos (incluindo o DVD “Surrond Sound”), bem como pesquisando novos materiais para futuros lançamentos, e performances ao vivo nos Estados Unidos, Europa, Ásia e América Latina.

O último álbum de Airto, “Life After That” foi lançado pelo selo Narada Records em 30 de setembro de 2003.

 

Tocou com:

Miles Davis Chick Corea Fingers Mickey Heart Wayne Shorter Steve Grossman Bennie Maupin Larry Young Joe Zawinul Gil Evans Dizzy Gillespie Keith Jarret Mickey Hart Joni Mitchell Tina Turner McCoy Tyner George Benson Herbie Hancock John McLaughlin Khalil Balakrishna Dave Holland Ron Carter Don Alias Smashing Pumpkins Carlos Santana Al DiMeola James Taylor Paul Simon Weather Report Return to Forever Cannonball Adderley Brecker Brothers Antonio Carlos Jobim Average White Band Babatunde Olatunji Bob James Bobby Hutcherson Cal Tjader Donald Byrd Freddie Hubbard Gato Barbieri Grover Washington Jr.

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com